Publicidade
Cotidiano
Doação de órgãos

Doador de órgão precisa expressar em vida desejo a parentes e amigos, diz Central

Quem enfatiza a afirmativa é a coordenadora estadual de Transplante, Leny Passos. De acordo com ela, mais de 450 pessoas estão na fila, à espera de um transplante de fígado e rim, no Estado 11/09/2017 às 05:00
Show cartao do doador
O ‘cartão do doador’ pode ser solicitado gratuitamente pela internet. Foto: Euzivaldo Queiroz
Silane Souza Manaus (AM)

Apenas a família pode autorizar a doação de órgãos para transplante. Por isso é importante a pessoa expressar em vida essa vontade aos parentes e amigos ou ter qualquer registro que represente o desejo de ser um doador para que a família se conscientize e autorize a doação no futuro. Quem enfatiza é a coordenadora estadual de Transplante, Leny Passos. De acordo com ela, mais de 450 pessoas estão na fila, à espera de um transplante de fígado e rim, no Estado. A única fila considerada “zerada” no Amazonas é a de transplante de córneas.

Além de avisar a família de que é uma doadora de órgãos, a estudante Camila Silva, 27, também tem dentro de sua carteira o “Cartão do Doador”, uma iniciativa do Banco de Olhos de Sorocaba (SP) que faz parte de uma campanha onde, além da córnea, o futuro doador manifesta o desejo de doar outros órgãos e tecidos. “É mais uma forma de sinalizar a toda a minha família que sou uma doadora”, afirmou ela, que conheceu o “Cartão do Doador” pelas redes sociais e o solicitou pela internet, de forma gratuita. 

Campanha

Para conscientizar e alertar a população sobre a necessidade da doação de órgãos para salvar vidas, está sendo realizada neste mês a campanha “Setembro Verde”. Em Manaus, a Central de Transplantes do Estado promove uma série de ações. “Vários prédios públicos e privados estão com iluminação verde, bem como as emergências onde temos potenciais doadores, para lembrar a população do tema”, destacou Leny. 

De acordo com ela, no próximo dia 25 será o “Dia D das Cihdott” (Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante), com atividade de sensibilização para funcionários das unidades de saúde. No dia 27, Dia Nacional do Doador de Órgãos e Tecidos, será realizado um evento no auditório da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA-UEA), no bairro Cachoeirinha, Zona Sul, para homenagear as famílias que, em 2016, autorizaram a doação de órgãos de um ente querido. 

A programação pelo “Setembro Verde” continua no dia 28, com o “Dia D da Educação”. Serão realizadas palestras em escolas públicas de Manaus, a fim de conscientizar estudantes sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. E, no dia 29, quando se encerra a campanha, serão promovidas palestras de doação nos serviços de urgência e emergência do Amazonas. “O esclarecimento sobre a doação é o norte principal para temos mais doadores”. 

Leny disse que a doação de córnea no Amazonas é muito boa: atualmente uma pessoa espera no máximo quatro semanas para fazer o transplante. Este ano foram feitas 144 doações de córnea. Em 2016, o número chegou a 233.

Cirurgias suspensas

Dos três tipos de transplantes que o Estado está credenciado a fazer, apenas o de córnea está sendo realizado atualmente. Os de rim e fígado estão suspensos por conta da quebra de contratos entre o Governo do Estado e empresas prestadoras dos serviços. “Estamos aguardando a renovação para poder retomar os transplantes. Acreditamos que isso deva ocorrer ainda este ano”, afirmou Leny Passos.

Publicidade
Publicidade