Sábado, 07 de Dezembro de 2019
EDUCAÇÃO

Respaldada na neurociência, Escola Vida realiza projeto Cultura Indígena

Instituição de ensino promoveu, ao longo do mês de abril, atividades em referência ao Dia do Índio potencializando nas crianças o sentimento de pertencimento em uma cultura milenar.



PRINCIPAL_4CDD510F-194E-47B1-8533-92914FA19243.JPG (Fotos: Hudson Neris)
30/04/2019 às 12:17

A Creche Escola Vida realiza o projeto denominado 'Cultura Indígena', registrando no sistema Límbico de suas crianças as emoções aprendidas socialmente, como: gratidão, consideração, respeito, solidariedade, admiração, espirito de coletividade, entre outros que não nascem conosco e sim através de interações sociais.

Estas emoções só serão potencializadas nas crianças se forem realmente vivenciadas, através de projetos congruentes e significativos, para a sua vida social. É no cérebro límbico, também chamado de cérebro emocional, que ficarão registradas todas as lembranças, sonhos, brincadeiras, relacionamentos, experiências e aprendizados significativos. A Creche Escola Vida, no período de 30 dias do mês de Abril, objetivou o registro dessas emoções sociais, através de elementos da nossa cultura, princípios e valores humanos, que potencializarão nas áreas emocionais e intelectuais das crianças o sentimento de pertencimento em uma cultura milenar.



O sistema límbico, especificamente a área cerebral do hipotálamo, que é principal encarregado da memória emocional, garante que, no processo educativo social, educadores possam ousar e ir além de um cocar de papel na cabeça das crianças no dia 19 de Abril (Dia do Índio). Para isso, são feitas as as seguintes perguntas: "De que maneira eu pretendo, enquanto professor, transformar a sociedade em uma sociedade mais humana e igualitária, se minhas ações pedagógicas estão incongruentes? O que verdadeiramente, enquanto professor, estou deixando de registrar no cérebro emocional de meus alunos, no que diz respeito a nossa cultura amazonense?".

A Creche Escola Vida atua respaldada pela neurociência e elucidada pela BNCC (Base Nacional Curricular Comum) que diz:  “A educação infantil é a etapa essencial para a construção da identidade e da subjetividade.” E completa: “As escolas devem então, promover uma maior consciência multicultural... Desta maneira, o aluno pode se expressar através da arte, compreender sua identidade, desenvolver senso de pertencimento. ”

Para que toda comunidade escolar da Vida (Gestores, Coordenadores, Professores, Pais, crianças e demais profissionais) se integrassem ao processo de reconhecimento e valorização da cultura social dos povos étnicos, foram vivenciadas as seguintes atividades: Coletânea, observação e manuseio de utensílios indígenas:



Contação e encenação de mitos e lendas

Pesquisa de imagens, grafismo, desenhos e pinturas indígenas.

Cozinha Experimental e degustação de alimentos regionais



Brincadeiras típicas e sessões de filmes com a temática indígena.

Palestras com o especialista no tema, Professor Sanderson Oliveira,e  palestra com a indigenista Rachel Gerber.


Visita, convivência e interação social, roda de dança e cantos da Etnia Ticuna.

Exposição e venda de artesanatos indígenas.




 

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.