Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘Responsabilidade é do PT’, diz presidente da Fundação Ulisses Guimarães sobre economia

Em entrevista ao A CRÍTICA, o presidente da Fundação Ulisses Guimarães, Moreira Franco, isentou o PMDB de qualquer responsabilidade sobre os problemas econômicos do país 25/02/2016 às 19:17
Show 1
Durante as caravanas da unidade, vice-presidente Michel Temer tem defendido que o PMDB lançará candidato em 2018
Aristide Furtado Manaus (AM)

Com o discurso de que a crise econômica resulta exclusivamente dos rumos dados pelo Partido dos Trabalhadores (PT) à economia do País, o PMDB, que partilha como vice, a presidência da República, tem assento em seis ministérios e comanda o Senado e a Câmara Federal, realiza hoje em Manaus, mais uma etapa da ‘Caravana pela unidade”, evento no qual a sigla se propõe a discutir um  projeto para o Brasil.

Ontem, em entrevista ao A CRÍTICA, o presidente da Fundação Ulisses Guimarães e ex-ministro-chefe da Secretaria da Aviação Civil, Moreira Franco, isentou o PMDB de qualquer responsabilidade sobre os problemas econômicos que assolam a população brasileira.

“Em outras áreas do governo certamente que sim, mas na área econômica o PMDB, em nenhum momento, foi chamado para ser ouvido. Nós não demos nenhum pitaco na política econômica do governo. Nós não temos nenhuma responsabilidade sobre acertos e nem sobre erros. A responsabilidade é exclusiva do PT e do governo”, disse.

O pemedebista ressaltou que recentemente a legenda lançou um plano com propostas de cunho econômico que, na avaliação dele, foi ignorado pelo Planalto. “Nós apresentamos recentemente uma proposta, a ‘Ponte para o futuro’,  em que nós vamos buscar fundamentos econômicos que no passado garantiram mudanças, como o plano cruzado, como a Carta aos Brasileiros, que o presidente Lula lançou, e aplicou esses fundamentos no primeiro mandato, mudando profundamente a economia brasileira e criando condições para que vivêssemos um período de prosperidade", disse.

"Os fundamentos da ‘Ponte para o futuro’ são os mesmo da carta aos brasileiros e do plano cruzado. O governo simplesmente ignorou. Tratou como se não tivéssemos, o  PMDB, apresentado essa proposta. E o que estamos fazendo é discutindo essa proposta com o partido e com a sociedade  porque temos a convicção que o Brasil tem urgência para encontrar uma solução para a mais grave crise econômica da sua história. Essa alternativa está esboçada na ‘Ponte para o futuro’, enfatizou Moreira Franco.

A reunião do PMDB, que ocorrerá, a partir das 15h, no  Centro de Convenções do Studio 5, Zona Sul, contará com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer. Daqui a duas semanas, o mandato dele à frente do partido será colocado em disputa na convenção nacional da legenda.

Nas edições da caravana pemedebista realizadas em outros estados, Temer tem defendido o lançamento de candidatura própria da sigla para a Presidência da República em 2018. A versão oficial desses encontros é o de garantir o lançamento em todas as capitais de candidaturas majoritárias e de promover a eleger o maior número de prefeitos, como base para o pleito presidencial.

Blog: Moreira Franco, presidente da Fundação Ulisses Guimarães

“O PMDB tem consciência da gravidade da crise econômica  que o País atravessa. Estamos vendo perdas de conquistas por grande parte da população. Mais de 40 milhões de brasileiros foram beneficiados. Estamos vendo o recrudescimento do desemprego,  contas públicas deterioradas, programas sociais, por debilidade financeira do governo federal, sendo diminuídos ou cortados. Esse quadro gera insegurança. Quando a terceira agência rebaixa o Brasil e o Fundo Monetário diz que esse ano o desempenho da economia brasileira será o segundo pior do planeta, isso  exige do governo  iniciativa e uma proposta para sair dessa crise. Nós apresentamos o nosso, o 'Ponte para o futuro'”.

Publicidade
Publicidade