Publicidade
Cotidiano
PREPARAÇÃO

Exagerou no Carnaval? Saiba como aliviar os sintomas da temida ressaca

A reportagem foi ao Mercado Municipal Adolpho Lisboa em buscas das melhores receitas para se curar ou evitar a ressaca. Nutricionista também dá dicas 27/02/2017 às 05:15
Show ressaca
Dor de cabeça é um dos sintomas da ressaca de bebidas alcoólicas
Isabelle Valois Manaus (AM)

Exagerou na bebida com o calor da folia ou tem receio de aproveitar o Carnaval por causa da ressaca? Não se preocupe! A CRÍTICA ouviu feirantes, comerciantes e nutricionistas que dão dicas de remédios caseiros que prometem ajudar a excluir os sintomas de desconforto.

A reportagem foi ao Mercado Municipal Adolpho Lisboa, no Centro de Manaus, em buscas das melhores receitas para se curar ou evitar a ressaca. São ervas naturais com preços variados de R$ 4 e R$ 5 que pode ajudar, e muito, a repor as energias e aproveitar bastante esse período do festivo.

A vendedora de ervas Nora Garcia, 43, é neta de indígenas e conta que aprendeu a importância de cada semente, folha e cascos, que, ao serem preparados como chás, são as melhores opções para curar para diversas doenças sem precisar de medicação laboratorial.

No caso da ressaca, Nora afirma que é indispensável o famoso chá de boldo do Chile. “O boldo faz uma limpeza geral no estômago, no fígado e no intestino. É importante não tomar só o chá de boldo, mas também carqueja, que irá tirar o estresse, o cansaço e a fadiga. É ótima para o fígado e gastrite. Se bebeu muito álcool, pode tomar que esses são tiro e queda”, explicou.

Outra erva sugerida por Nora é a “espinheira santa”, que, assim como o boldo e carqueja, o chá desta erva também auxilia no tratamento do estômago como acidez, úlcera e gases. A espinheira santa é também cicatrizante das afecções da pele, eczema e herpes. De acordo com a vendedora, duas ervas amargas também fazem parte do pacote.

“Quina-quina e carapanaúba são duas ervas amargas que também fazem parte do pacote para curar ressaca. Estes são indispensáveis para o fígado. Para preparar, o folião (risos) precisa pegar uma quantia pequena, quase o palmo de uma mão fechada, essa porção elabora meio litro de chá. Não se deve fazer um chá muito forte, pois a dose precisa ser maneirada e deve se tomar dois copos desse chá por dia e preferência antes das refeições. Se estiver de ressaca, o melhor é tomar os chás depois de um café”, orientou a vendedora.

Nora afirma que não é necessário tomar todos os chás. Ela sugere que o folião compre pelo menos dois pacotes de cada tipo de erva para se preparar para a festa. “Os pacotes estão no preço de R$ 4 e R$ 5. Caso a pessoa não tenha como vir até o mercado, nós até realizamos entrega das ervas em domicílio, basta nos procurar por meio da fanpage no Facebook”, informou.

Assim como Nora, o vendedor de ervas naturais Aldo Braga, 45, orienta que a população escolha o boldo como a espinheira santa para curar a ressaca. Além dos dois, o vendedor orienta também a tomar o famoso pó de guaraná.

Água e alimentação: antes, durante e depois

A nutricionista Patrícia Gidi ressalta que antes e durante a folia também é preciso alimentar-se bem. “Beber de estômago vazio aumenta a absorção do álcool e aumenta a sensação de fraqueza”. Para a refeição pré-Carnaval, Gidi orienta que se coloque uma colher de sopa de azeite na comida. “As gorduras boas protegem o fígado e evitam a terrível dor de cabeça no dia seguinte”, explicou.

O folião também deve beber bastante água. “Bebidas alcoólicas geralmente são diuréticas, beber água ajuda a manter o corpo hidratado”. Conforme a nutricionista é necessário escolher bem a bebida. “Quanto maior a porcentagem de álcool, maior é o prejuízo no dia seguinte. Beba com moderação, mesmo seguindo essas dicas, o excesso de álcool engorda e traz prejuízos ao organismo”, informou.

Depois da folia, Patrícia Gidi orienta a ingestão de bastante água, pois boa parte da fraqueza e do mal-estar é devido à desidratação do corpo. Na alimentação, a nutricionista sugere refeições leves, ricas em frutas, verduras, legumes e carboidratos complexos, como os alimentos integrais, que auxiliam na desintoxicação do organismo. “Não consuma alimentos gordurosos, frituras, doces e guloseimas, pães e massas brancas, queijos, café e refrigerantes. Esses alimentos sobrecarregam o organismo e dificultam a eliminação das toxinas”, explicou.

Ela destaca que é preciso evitar o consumo de medicamentos em excesso. “A automedicação, além de perigosa, pode não resolver e até piorar os sintomas. Descanse o corpo e relaxe, assim seu corpo irá se recuperar mais rápido”, completou.

OPINIÃO:

"Gosto sempre de tomar uma cervejinha. Mas, as vezes passamos do limite ou quando não o estômago, fígado e o intestino não aceitam muito bem a bebida. Quando isso acontece, busco sempre tomar um chá de boldo, um chá da casca da laranja ou até mesmo um garaná regional que é bem doce e repõem a glicose. Quando não corro para uma sopa, um caldo verde, um caldo de feijão e descanso. Buscar ingerir vários tipos de doce é muito bom, mas aconselho mesmo a sopa e os chás. Não são remédios produzidos em farmácias, mas são muito bons para tirar aquele mal-estar. Descansar também faz parte da recuperação de uma boa festa. No dia seguinte sempre me hidrato bastante, pois o corpo precisa. Em último caso, quando tô sem esses remédios caseiros em casa, procuro tomar algo pra dor de cabeça e estômago”

Fernando Santos, empresário, 41 anos

Publicidade
Publicidade