Publicidade
Cotidiano
Notícias

Rio Solimões registra subida e, com 2m, já apresenta sinais de cheia

Nível do rio em Tabatinga subiu 2 metros, mas especialistas não confirmam se fenômeno pode refletir na vazante do Negro 19/10/2015 às 20:43
Show 1
De acordo com os órgãos ambientais, o nível do rio Solimões na região de Tabatinga vem subindo nos últimos dois dias e já acumula uma cheia de 2 metros
Isabelle Valois Manaus (AM)

Enquanto o rio Negro vem registrando, nos últimos dias, uma vazante acima da média, que é de 25 centímetros por dia, em Tabatinga (1.105 quilômetros distante de Manaus) o nível do rio Solimões começou a subir desde o dia 5 de outubro e, de lá para cá, acumula uma cheia de 2 metros.

No entanto, para o pesquisador do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) André Santos, é necessário aguardar mais uma semana para afirmar se esse fenômeno pode ser considerado um início de “repiquete” no Solimões, seguido do fim da vazante, ou se foi um comportamento atípico do rio, que pode voltar a descer, para, só então, apontar se a vazante do rio Negro deve superar a de 24 de outubro de 2010, quando o rio atingiu a cota mínima de 17,30 metros.

Caso o fim da vazante do Solimões se confirme, após 15 dias a subida das águas no Alto Solimões deve começar a refletir no volume do Rio Negro, informou o pesquisador. “O que vem ocorrendo no Solimões pode indicar o início de uma vazante ou não. Tudo vai depender desta semana, mas caso o rio Solimões retorne a descer, vamos poder afirmar a hipótese de uma possível vazante prolongada do rio Negro ou até uma vazante histórica”, detalhou.

Ele explicou que o fenômeno ocorrido na última semana, quando o rio Negro chegou a descer, por dia, mais de 25 centímetros, tem relação com o El Niño - fenômeno atmosférico no qual as fortes correntes do oceano Pacífico equatorial reduzem a velocidade, fazendo com que as águas quentes que ficavam na parte oeste do oceano fluam para leste, aumentando as temperaturas -, que predomina em nossa região.

Conforme dados da Agência Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), este El Niño é considerado um dos mais fortes registrados nos últimos 65 anos.

De acordo com o chefe do Serviço Hidrológico do Porto de Manaus, Valderino Pereira, desde o último domingo, o rio Negro começou a retomar o fluxo normal de vazante. No domingo (18) e ontem, o rio Negro desceu 28 centímetros por dia. “Acredito que ele (rio Negro) esteja a caminho final da vazante. Como já havia informado, caso voltasse para normalidade da descida, poderia afirmar que ele não passaria da cota recorde de vazante, e acredito que não chegaremos”, disse Valderino.

Descida continua irregular

Nesta segunda-feira (19), o rio Negro chegou à cota de 17,30 metros, descendo mais 28 centímetros. Até sábado (17), o rio continuou a descer de forma irregular, acima de 25 centímetros por dia. No sábado, o rio desceu 35 centímetros e, no domingo, foram 28 centímetros.

Para Valderino Pereira, a descida ainda não é considerada normal, mas se aproxima da normalidade. “Acredito que agora ele vai diminuir o ritmo da descida, pois estamos chegando no final do período da vazante, que anualmente é no final do mês de outubro e início do mês de novembro”, reforçou.

O ritmo “anormal” da vazante, de mais de 25 centímetros por dia, começou a ser registrado no dia 10 de outubro, quando o rio Negro desceu 38 centímetros. Um dia depois, o rio registrou a maior redução em seu nível, após baixar, em um dia, 40 centímetros.  Durante os seis dias que se seguiram ele manteve esse ritmo de descida, acima da média.

Publicidade
Publicidade