Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Notícias

Risco de microcefalia: número de grávidas com suspeitas de terem contraído Zika vírus sobe para 14

Boletim Epidemiológico da Susam aponta que 92 casos ainda permanecem sob investigação e que todos os casos notificados são de Manaus



1.jpg
Casos notificados de Zika vírus são todos da capital amazonense e o interior ainda não registrou nenhum
08/01/2016 às 21:31

Aumentou de 13 para 14 o número de grávidas com suspeita de terem contraído Zika vírus, em Manaus, do dia 4 ao dia 7 deste mês. A quantidade de casos suspeitos no Amazonas já chegou a 102, de acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado, ontem, pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Do total, dois casos foram confirmados e oito descartados,  92 ainda permanecem em investigação.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação de Vigilância de Saúde do Amazonas  (FVS-AM), Bernardino Albuquerque, os casos notificados de Zika vírus são todos da capital amazonense. O interior ainda não registrou nenhum. Porém as ações de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, estão intensificadas.

Conforme ele, a FVS-AM está com atividades nos municípios que foram ranqueados, de acordo com a maior vulnerabilidade frente ao risco de transmissão de arboviroses por Aedes aegypti, de médio e alto nível. “O monitoramento realizado pela FVS está intensificado e alinhado juntamente com as secretarias municipais de saúde que executam as ações de prevenção nas cidades”, destacou.

As cidades do Amazonas em situação de médio e alto nível de transmissão de arboviroses por Aedes aegypti, de acordo com a FVS-AM, são: São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Tefé, Coari, Codajás, Lábrea, Humaitá, Novo Aripuanã, Borba, Maués, Itacoatiara, Careiro, Manaus, Iranduba, Guajará e Manacapuru.

Bernardino ressaltou que a FVS-AM está concluindo ainda neste mês de janeiro o cronograma de distribuição das 60 mil telas protetoras nas caixas d’águas, toneis, camburões e tinas para o interior do Amazonas. Além disso, ele disse que os agentes de saúde estão orientando a população para aplicação do checklist de verificação de criadouros.

“A forma efetiva de prevenção é não deixar o mosquito nascer, por tanto, é necessário verificar semanalmente as dependências das casas e no trabalho para eliminar os criadouros do mosquito", alertou o diretor-presidente da  FVS-AM, Bernardino Albuquerque.

No último dia 7, o Ministério da Saúde sugeriu que cada Estado crie comitês para intensificar o combate do Aedes aegypti. No Amazonas, o comitê foi criado no início deste mês pela Susam.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.