Publicidade
Cotidiano
Notícias

Saiba como começar 2016 sem passar por nenhum ‘aperto’

Aproveitar o 13º para quitar dívidas é a saída para começar o ano sem preocupação com o orçamento 29/12/2015 às 10:39
Show 1
Especialista aconselha a tomar cuidado com as compras feitas por impulso para não comprometer o orçamento do novo ano
fabiane moraes/ manaus hoje ---

É com alegria que a maioria dos brasileiros recebem a confirmação de que o décimo terceiro salário já está na conta. Embora, a decisão mais consciente e programada seja utilizá-lo para quitar dívidas, encarar os preços cada vez mais altos e as facilidades de compras no fim de ano, talvez mudem de rumo o planejamento. E, para conseguir equilibrar o pagamento de contas, o especialista em economia Mário Pierre dá orientações. O economista afirma que o maior erro que se pode cometer ao receber o décimo terceiro é comprar produtos supérfluos e deixar em segundo plano as despesas básicas e pagamentos essenciais, como dívidas acumuladas. “Esse erro fará com que a pessoa inicie o ano com grandes preocupações futuras”, explica.

No período pré-festa é comum o consumidor se direcionar apenas as compras do momento, como roupas e calçados para toda a família, presentes, artigos de alimentação, móveis e materiais de construção em geral, para preparar a casa para a recepção de amigos e familiares. E, para efetuar todas as aquisições, o cliente acaba extrapolando nos gastos e utilizando recursos que não pode. A compra impulsiva se refletirá em uma ‘ressaca de endividamento’, que inicia logo depois o réveillon, quando chega junto do ano novo os boletos de IPTU, IPVA, Imposto de renda e material escolar.

Por este motivo, a fórmula antiga de fazer uma lista com os itens que realmente são necessários, aliados de muita pechincha, pagamento à vista e negociação de preços, farão a diferença no saldo que ficará depois da utilização do décimo terceiro. Para ter ainda mais sucesso, evite também parcelamentos longos. Caso, não for possível pagar à vista, opte por parcelas curtas. Mário Pierre incentiva a esquecer, por enquanto, a compra de eletrodomésticos, eletrônicos e bebidas e comidas muito requintadas. Mas, você é um ‘mão fechada’ assumido e consegue se controlar, a grana extra pode ser usada para investir ou planejar, a abertura de uma empresa. “Se houver um planejamento para abrir o próprio negócio; guardar parte do 13º pode ajudar”, conclui.

Atrasos complicam

Parece brincadeira, mas em plena época de crise, muitos trabalhadores ainda não receberam o décimo terceiro, que deveria ter sido pago até o dia 18. A lei estipula o pagamento até, no máximo, o dia de 20 de dezembro. Quem não recebeu é for sindicalizado, pode recorrer à entidade que representa à categoria e solicitar que o sindicato formalize a denúncia junto à Justiça do Trabalho. Se o caso é individual, o empregado pode procurar a Superintendência Regional de Trabalho e Emprego (SRTE). Se o atraso está prejudicando muitos funcionários, é necessário ir ao Ministério Público do Trabalho (MPT). Para qualquer um dos casos, é necessário apresentar o CNPJ da empresa, a razão social e o nome fantasia, além do endereço e o ponto de referência, para facilitar a confirmação da denúncia. 


Publicidade
Publicidade