Publicidade
Cotidiano
Notícias

Saneamento básico será tema da Campanha da Fraternidade 2016 da Igreja Católica

Ação deste ano será ecumênica e organizada pelo Conselho Nacional das Igrejas Cristãs e receberá parceria da entidade episcopal da Igreja Católica na Alemanha 01/02/2016 às 18:02
Show 1
Padre Geraldo e Dom Sérgio concederam coletiva na manhã desta segunda-feira (1º)
Isabelle Valois Manaus (AM)

A arquidiocese de Manaus divulgou na manhã desta segunda-feira (1) o tema da Campanha da Fraternidade 2016 (CF-2016), “Casa Comum, nossa responsabilidade”. A campanha deste ano será ecumênica e organizada pelo Conselho Nacional das Igrejas Cristãs (Conic). O texto-base traz opiniões e reflexões sobre as questões relativas ao saneamento básico.

Desta vez, a campanha no Brasil receba parceria da entidade episcopal da Igreja Católica na Alemanha que também trabalha na cooperação para os desenvolvimentos na Ásia, África e América Latina.

Conforme o arcebispo de Manaus, dom Sérgio Castriani, a CF é considerada ecumênica, pois qualquer igreja que se identifica com o tema pode participar. Participam da CFE a Igreja Católica Apostólica Romana, Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Episcopal Anglicana do Brasil, Presbiteriana Unida do Brasil, Sirin Ortodoxa de Antioquia, e é aberta as demais religiões para participaram desta ação.

“O Conic em base de cinco em cinco anos solicitada da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) para que eles possam assumir a CF com temas sempre ecumênicos. O saneamento básico é uma preocupação mundial, sabemos que como exemplo os lixos hospitalares e eletrônicos de países ocidentais como Estados Unidos e da Europa são levados para a África e em outros países pobres. Essa mesma situação é possível encontrar no Brasil. A diferença é que aqui não há saneamento básico e vamos usar a campanha para cobrar soluções”, explicou.

O lema da CFE deste ano é: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. O coordenador de Pastoral da Arquidiocese de Manaus, padre Geraldo Bendaham, informou que em Manaus a situação também é precária, pois só existem 10 por cento de cobertura com o sistema de saneamento o restante é descartado em igarapés e conseqüentemente nos rios.

“Manaus está com um atraso para o desenvolvimento da drenagem na cidade. Ano passado que foi criado o plano e até o momento nada foi feito. Acredito que com a CFE abordando o tema, será uma forma de estarmos mais a frente para cobrar o poder público a tomar certas atitudes e colocar em prática todo o procedimento do papel em prática”, comentou.

A igreja católica, de acordo com o padre Geraldo, já iniciou o processo de estudo da situação do saneamento básico em Manaus e irá realizar denúncias graves de entidades, prédios, e moradias que são poluentes do ambiente público.

“As doenças se proliferam por causa da falta desse procedimento. Saneamento básico é prevenção, os governantes inteligentes vão investir na prevenção. As nossas periferias, o saneamento básico é praticamente zero. A unidade prisional do Puraquequara tem um esgoto a céu aberto, e toda poluição é destinada aos bairros pobres de Manaus que estão naquela região e ninguém faz nada. Acredito que agora é um meio de cobrarmos de colocar o assunto em pauta, cobrar os políticos para que possamos ter uma cidade melhor”, reforçou.

A abertura da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016 está prevista para ocorrer na manhã da quarta-feira de cinzas (10) na Praça do Prosamim, na rua Raul de Azevedo, bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus. Neste dia, serão convidados vereadores e representantes públicos, além de toda a sociedade.

Publicidade
Publicidade