Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
EM BRASÍLIA

Secretário de Segurança do AM cobra de Bolsonaro recriação de ministério

Coronel Louismar Bonates participou em Brasília (DF) de um encontro com o presidente Jair Bolsonaro



49426415987_acc260d5ed_o__3__F9D85286-DCD2-4CD3-99F8-523797B1D07C.jpg Foto: Arquivo AC
23/01/2020 às 08:09

O secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates, participou nessa quarta-feira (22), em Brasília (DF), de reunião com o presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, secretários de segurança de ao menos 12 estados estiveram presentes.

Bonates cobrou do presidente mais verbas para a área, descontingenciamento do Fundo Nacional de Segurança e a recriação do Ministério de Segurança Pública.



De acordo com Bonates, a reunião foi produtiva e os secretários esperam que o Governo Federal acene com mais recursos para auxiliar o trabalho dos estados no combate à violência.

“Eu e os demais secretários estivemos em uma audiência hoje (ontem) à tarde com o presidente da República. A nossa principal reivindicação é a recriação do Ministério da Segurança Pública, para que tenhamos um olhar mais direcionado aos problemas da segurança pública, principalmente com mais recursos, além de novas fontes de investimento”, disse.

Ao finalizar a reunião, que foi transmitida ao vivo nos canais de comunicação do Governo Federal, Bolsonaro sinalizou que irá estudar a recriação do Ministério da Segurança Pública.

A reunião foi acompanhada pelos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). Participaram também os secretários de segurança do Distrito Federal, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

Maia concorda com secretários

Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, também defendeu a recriação do Ministério da Segurança Pública. Pelo Twitter, Maia afirmou que "o fim do Ministério da Segurança Pública no início do governo Bolsonaro foi um erro para o próprio Governo", escreveu o político em post na noite de ontem. 

Questionado por um grupo de jornalistas em Brasília, Maia acrescentou que ainda não tratou com Bolsonaro sobre o assunto. "Não conversei com o presidente Bolsonaro sobre isso, mas a decisão de recriar o ministério é uma sinalização de priorização do tema da segurança pública que, de fato, precisa de uma política focada e concentrada no tema da articulação do trabalho do governo federal com os estados", disse Maia para repórter da IstoÉ.

MSP

O Ministério da Segurança Pública (MSP) teve início em fevereiro de 2018 pelo então presidente Michel Temer (MD), a partir de um separação do Ministério da Justiça. O ex-deputado Raul Jungmann foi o primeiro titular da pasta, que ficou responsável por coordenar os trabalhos da Polícia Federal, Rodoviária Federal e Força Nacional de Segurança.

Ao assumir a Presidência, em 2019, Bolsonaro optou por reunir novamente Justiça e Segurança em uma única pasta, chefiada pelo ministro Sérgio Moro. Agora, o presidente está sendo pressionado pelos secretários de Segurança Pública dos estados para rever o modelo.

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.