Publicidade
Cotidiano
Notícias

Secretário diz que 98% das escolas do AM examinadas pelo Enem aumentaram as notas médias

Entre as estratégias apontadas pelo titular da Seduc, para melhorar o Ensino Médio no estado, está a revisão da grade curricular e aumento o tempo do aluno na escola 05/08/2015 às 21:19
Show 1
Além do aumento nas notas, Rossieli também destacou que escolas do Amazonas superaram a média das notas no País.
Kelly Melo Manaus (AM)

Embora as escolas da rede público estadual tenham ficado atrás das particulares no desempenho do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014, conforme o que foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep),  do Ministério da Educação (MEC),  o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares, defende que as escola públicas amazonenses tiveram um bom desempenho, mas reconhece  que o Estado ainda está longe do ideal dentro desse quesito.

Alunos de 85 escolas públicas estaduais realizaram as provas do Enem no ano passado.

Conforme Soares, a prova do bom desempenho dos amazonenses é que 98% das escolas que participaram do Enem, em 2013 e 2014, conseguiram aumentar as suas médias nas provas e mais, superaram a média nacional. Enquanto no Amazonas as médias subiram 14,5 pontos, em nível nacional, as escolas tiveram um crescimento de média de 4,2 pontos.

“Acredito que alcançamos um bom resultado porque das 85 escolas que participaram do Enem, 83 aumentaram as suas médias. Claro que ainda estamos longe do ideal, mas estamos trabalhando para encontrar meios de melhorar o nosso sistema de educação”, afirmou Rossieli,

Entre as estratégias apontadas pelo secretário, para melhorar o Ensino Médio no estado, está a revisão da grade curricular e aumento o tempo do aluno na escola.

“Nós precisamos tornar o ensino médio mais atrativo e já estamos estudando como fazer isso. Até setembro, esses estudos devem ser finalizados para que, a partir daí, possamos abrir a discussão com a sociedade. Nossa meta é implementar um novo currículo até 2017”, disse.

Questionado sobre as escolas públicas ainda estarem com o desempenho abaixo das escolas particulares, Rossieli Soares justificou que os indicadores socio-econômicos das escolas privadas são diferentes das escolas públicas.

“Os alunos do ensino particular têm aulas extras, atividades no contraturno e etc. e isso pesa. Mas os da rede pública nem sempre têm os mesmos requisitos, porque as condições financeiras são diferenças. Esses impactos estamos tentando minimizar com a implantação das escolas de tempo integral, por exemplo”, explicou.

Desempenho bom quando estratificado

O secretário destacou que a avaliação também foi positiva nos resultados das médias por áreas de conhecimento.  Em “Linguagem e suas Tecnologias”, por exemplo, enquanto a média nacional alcançou  18.5 pontos, os amazonenses tiveram uma evolução de 28.5 pontos, comparando as provas aplicadas em 2013 e 2014.

Em “Ciências Humanas e suas Tecnologias”, o salto foi ainda maior. O Amazonas cresceu 42 pontos, enquanto a média nacional cresceu apenas 26,7 pontos.

A única exceção foi em “Matemática e suas Tecnologias”, onde todos os estados apresentaram uma queda nas médias. “As escolas brasileiras, de forma geral, decresceram 39,1 em comparação com 2013, já o rendimento das escolas estaduais amazonenses decaiu 26,4”, ponderou.


Publicidade
Publicidade