Publicidade
Cotidiano
ECONOMIA

Segunda parcela do 13º vai injetar mais de R$ 250 milhões na economia do AM

Prefeitura inicia nesta segunda-feira (26) a quitação do benefício aos aposentados. Liberação do montante para mais de 140 mil servidores públicos podem alavancar comércio 26/11/2018 às 09:44
Show centro 1a404046 8374 4481 a2de f185f684a739
Foto: Arquivo/AC
Náis Campos Manaus (AM)

Com a aproximação do pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores públicos estaduais e municipais, a economia do Estado terá uma injeção de pelo menos R$ 253 milhões antes do final do ano. A Prefeitura de Manaus sai na frente e inicia no dia 26 a quitação do benefício com o pagamento antecipado aos aposentados. Serão pagos a quase sete mil inativos um total de R$ 8,6 milhões.

Já os servidores do quadro ativo municipal vão receber a segunda parcela do décimo no dia 7 de dezembro. A projeção é de que 33 mil sejam beneficiados com recursos que chegam a R$ 45 milhões. Se forem considerados os pagamentos de salários e antecipações do décimo terceiro, a prefeitura vai desembolsar R$ 304,8 milhões.

A previsão de pagamentos da última parcela do 13º salário aos servidores do Estado é de até o dia 20 de dezembro. O governo deverá injetar em torno de R$ 200 milhões na economia local. A primeira parcela, paga entre os dias 24 e 25 de julho, garantiu a 110 mil funcionários, entre ativos, aposentados e pensionistas, cerca de R$ 170 milhões.

Pagamento

Apesar de esse montante milionário começar a circular no mercado amazonense a partir da semana que vem pelas mãos de 150 mil servidores públicos, a economista Denise Kassama avalia que a crise está remodelando os hábitos da maioria dos funcionários na relação consumo e economia: a ideia é se livrar das contas. “É preferível terminar o ano com a menor quantidade de dividas possível”, recomenda.

Kassama garante que até o comércio tem buscado alternativas para que os consumidores quitem suas pendências por meio da redução de taxas, como juros e multas, para que a clientela encerre o ano no azul. “A maioria das pessoas não está com dinheiro sobrando mas, sim faltando. O Ano de 2018 foi ‘menos ruim’ do que 2017 com poucos recuperando seus postos de trabalho e muitos ainda desempregados”, opina.

Por essa lógica, a pedagoga Karla Regina Mendes confessa que já tem destino certo para a segunda parcela do décimo. “Vou pagar as minhas contas”, conta a servidora municipal que não costuma gastar com presentes de Natal. “Costumo fazer a ceia natalina sim, mas com o meu salário mensal, o décimo é para quitar débitos mesmo”.

As professoras da rede estadual, Jamile Rodrigues Leite e Fabíola Menezes usaram os seus pagamentos do Fundeb para adiantar a compra dos presentes de Natal, e agora com a parcela do 13º vão usar para por em dias as faturas dos cartões de crédito. “Liquidar os atrasados e recuperar o crédito é a meta”, adianta as profissionais.

Rateio de R$ 300 milhões

A Associação Amazonense de Municípios afirma que só o Estado tem uma folha de pagamento de pessoal, hoje, na administração direta e indireta, capital e interior, acima de R$ 7,2 bilhões/ano. Para a AAM, a injeção financeira desse segmento do setor público corresponde a cifras acima de R$ 300 milhões (50% do 13º salário). Dessa fatia, R$ 180 milhões ficam com a folha da capital e R$ 120 milhões repartidos pelos 61 municípios, o que dá em média R$ 1,9 milhão para cada.

Consumidor vai quitar dívidas

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas (FCDL-AM) calcula que pelo menos 35% dos recursos que vão entrar em circulação, por meio dos pagamentos referentes ao 13º salário, ou R$ 88,5 milhões, serão revertidos para a quitação de dívidas dos servidores públicos com o comércio de Manaus.

A FCDL-AM já deu a sua contribuição para a queda da inadimplência ao finalizar, no mês passada, a campanha “Limpe seu Crédito e Faça seu Nome Brilhar”. “Ao longo do mês de outubro foi observado que muitas pessoas fizeram negociações e adiantaram uma primeira parcela pequena e estão contando com essa segunda parcela do décimo para quitar o restante do débito”, estima o presidente Ezra Azury.

Denise Kassama chama essa atitude dos clientes de limpar o nome como “prudente”. “Então acho que essa prudência vai continuar ainda pelo menos até meados de 2019, quando começaremos a sentir algum reflexo da política econômica do novo governo, sentir a tendência”, declara.

A economista alerta para o fato de que o País precisa voltar a crescer e sair deste marasmo econômico. “Então, votando ou não no Bolsonaro, temos que trabalhar pela retomada do desenvolvimento. Penso que a retomada será suave”, diz Kassama.

Lojistas contam com os recursos

“A programação dos pagamentos é casada com as atividades do comércio, assim as ações são realizadas em parceria com o poder público. O comercio se adapta a essa entrada de recursos. Por exemplo, quem começa a receber a segunda parcela do décimo, os aposentados, dia 26 coincide com a campanha do Black Friday, que se iniciou no dia 22 e se encerra na segunda. Ou seja: os lojistas contam com esses recursos. Os servidores que vão receber no dia 7 de dezembro, véspera do feriado de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Amazonas, também já foi combinado com os órgãos públicos (Estado e Prefeitura de Manaus) para coincidir com o feriado para também impulsionar o comércio. E os pagamentos que serão efetuados até o dia 20 de dezembro (por lei é a data limite para a quitação da segunda parcela do décimo terceiro) vão coincidir com a semana que antecede o Natal”, disse o presidente da FCDL, Ezra Azury.

Publicidade
Publicidade