Publicidade
Cotidiano
Notícias

Segundo Amazonas Energia, a cada cinco anos duplica o número de incêndios no AM

Até o mês de junho, ocorrências já são mais de 500 em Manaus. Ligações clandestinas prejudicam fiação e facilitam os acidentes 29/06/2013 às 11:04
Show 1
O risco de incêndio nos transformadores leva perigo, também, aos moradores
JAÍZE ALENCAR ---

No Amazonas, a cada cinco anos duplica o número de incêndios em transformadores e postes de energia elétrica, de acordo com dados da Eletrobras Amazonas Energia. Em 2012, mais de 1,6 mil unidades sofreram incêndios. Até o mês de junho deste ano já são mais de 500 equipamentos avariados.

Esse aumento acontece em virtude do crescimento da demanda da cidade. As pessoas estão consumindo mais energia das redes de distribuição e existem muitas ligações clandestinas que prejudicam as fiações. São emaranhados de fios clandestinos que sobrecarregam os transformadores.

Desde o começo do mês de junho a empresa de abastecimento de energia do Estado tem intenção de modernizar as redes, diminuindo as ligações clandestinas e aumentando a capacidade das redes de distribuição. Essa ação evitaria sobrecarga dos transformadores e diminuiria o índice de incêndios.

Esse risco está à porta das pessoas. Em Manaus, o que se vê em muitos bairros são casas construídas bem próximas aos postes de energia. Os moradores não têm conhecimento sobre qual seria a distância ideal. Manoel Reis é aposentado e diz que a menos de um ano a empresa Amazonas Energia instalou um transformador no poste em frente à casa dele e não passou nenhum tipo de informação ou orientação. “Eu sei que existe uma distância que esses equipamentos devem manter dos muros das nossas casas, mas não sei qual é.”

Na última sexta-feira, 21, o transformador de energia localizado em frente à casa de seu Manoel, na rua Dos Inocentes, no bairro Coroado 1, Zona Leste, pegou fogo. Para tentar ajudar, moradores começaram a jogar água. E como o fogo estava sendo alimentado pelo óleo que saía do transformador, as chamas aumentavam.

Manoel relatou que ouviu o barulho de uma explosão e, quando olhou pela janela, decidiu não sair de casa. “Vi o óleo escorrendo pelo poste e fiquei apreensivo. Pensei que a qualquer momento o fogo fosse atingir a fiação e incendiar a minha casa.”

O sargento Silas, do Corpo de Bombeiros, orienta as pessoas que em situações como essa apenas saiam do local, acione os bombeiros e não tentem deter o fogo. “Resfriar as proximidades, para que o fogo não se espalhe, é válido desde que seja realizado com atenção”. Incêndios que envolvem produtos químicos e combustíveis devem ser apagados com produtos específicos.

Para casos de acidentes elétricos que tenham vítimas, a outra orientação do sargento é desligar imediatamente a eletricidade. “Se não for possível, interrompa o contato da vítima com a corrente elétrica, utilizando material não condutor seco (pedaço de pau, corda, borracha ou pano grosso)”, recomenda. 

Publicidade
Publicidade