Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
Notícias

Segundo turno nas eleições causa efeito no setor industrial e comercial do Amazonas

Segundo representantes do setor industrial, o segundo turno causa um atraso em novos investimentos. Já para o comércio, o pleito não causa prejuízos  



1.gif Para o comércio local, extensão das eleições no segundo turno favorece o comércio de bebidas no Estado
07/10/2014 às 10:56

O resultado das urnas na votação do último domingo (5) confirmou o segundo turno na escolha do presidente da República e do governador do Estado e essa indefinição na política deixa grandes investidores em compasso de espera. Para o setor industrial, o melhor seria uma definição rápida para que a decisão de investir pudesse ser tomada. O segundo turno, apesar de representar apenas mais 20 dias, causa um atraso em novos investimentos.

A indecisão se aplica em todos os níveis, seja nos pequenos negócios, seja no mercado de capitais. De acordo com Athaydes Mariano Félix, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) as pessoas estão sim esperando a definição no cenário político do Brasil para poder investir. “Tudo o que está acontecendo no Brasil contribui para isso. Os impostos estão altos, existe a dificuldade no setor industrial e tudo isso está provocando uma desconfiança política, em especial nesse caso da Petrobrás, que é o que mais aparece na mídia”.

Durante a campanha eleitoral, o mercado já oscilava conforme as pesquisas de intenção de voto eram divulgadas. No dia 26 de setembro, por exemplo, foi divulgado que Dilma subira nas pesquisas e, por conta disso, a Bovespa caiu 4% e a cotação do dólar subiu 1%.

Comércio

Já para o comércio, o período eleitoral não causa prejuízos. É o que garante Nelson Azevedo, coordenador geral da Fieam. Para ele, a indústria e o comércio já esperam por esse período, que ocorre a cada dois anos e durante as eleições, o sentimento nesse setor é de expectativa. “Nós estamos vivendo um momento difícil na economia do País, com baixíssimo crescimento e pouco investimento. O período eleitoral nos dá uma expectativa do novo ou da reeleição. Nós vemos isso olhando o futuro”.

Para o empresário Antônio Silva, as eleições não atrapalham o comércio. Pelo contrário, ela movimenta a renda, principalmente no setor de bebidas frias e de água mineral. “As eleições são no domingo, por isso não atrapalham na economia, ela até gera uma circulação de renda devido à venda dessas bebidas nos dias de votação”, disse o empresário, que, não por acaso, atua nesse setor.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.