Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sejus investe em tecnologia e inaugura centro para monitorar presídios do Amazonas

Unidades prisionais passam a ser monitoradas com câmeras e acompanhamento dos presos usuários de tornozeleiras eletrônicas 10/12/2014 às 22:31
Show 1
Centro de Operações e Controle (COC) do Sistema Prisional
Kelly Melo Manaus (AM)

Para combater  a entrada de objetos proibidos como armas e celulares,  entorpecente,  facilitação de fugas e até mesmo rebeliões, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) inaugurou nesta quarta-feira (10), o Centro de Operações e Controle (COC) do Sistema  Prisional, que vai monitorar 24h não só os passos dos internos em todas as unidades prisionais da capital, mas  também o comportamento dos agentes de disciplina e agente penitenciários. A medida visa intensificar a fiscalização e dar mais transparência ao sistema, pioneiro no País.

De acordo com o secretário Louismar Bonates, mais de R$ 3 milhões estão sendo investidos no modelo pelos próximos cinco anos. Cada unidade prisional possui, em média, 50 câmeras que transmitem as imagens em tempo real para o COC, que fica na própria Sejus, onde um profissional acompanha o monitoramento por um monitor específico para cada presídio. Só pessoas autorizadas têm acesso ao setor.

“Nós criamos o primeiro centro de controle do sistema prisional, no país. As unidades sempre tiveram câmeras, mas esse controle era feito lá dentro mesmo e ele podia ser facilmente manipulado. Agora, vamos acompanhar isso mais de perto e fazer um controle remoto do que está acontecendo em cada complexo penitenciário”, destacou Bonates.

O secretário também explicou que o monitoramento do Centro  é capaz de identificar se os bloqueadores de celulares foram cortados, se algum visitante deixou de passar pela revista, ou se o interno que utiliza a tornozeleira eletrônica não cumpriu o trajeto especificado pelo GPS e autorizado pela justiça estadual. Além disso, os “botões do pânico” que serão utilizados nos casos de “Maria da Penha”, também serão  monitorados pelo sistema. Ontem, 50 dispositivos já foram entregues à Delegacia Especializada em Combate a Crimes contra a Mulher (DECCM) e aguardam apenas a definição da justiça para começarem a ser utilizados.

Bonates frisou que a ideia é estender o monitoramento às unidades do interior, futuramente. “O sistema é online e foi criado pela Prodam. O próximo passo é fazer com que as imagens do presídios do interior do estado também cheguem até aqui, para termos um controle maior”, afirmou. De acordo com a Sejus, nas saídas temporárias de Natal e Ano Novo os detentos que tiveram esses benefícios só poderão sair se aceitarem o uso das tornozeleiras.

Sistema será disponível para varas judiciais

O Centro de Operações e Controle da Sejus  também será disponibilizado para as Varas de Execuções Penais e Grupo de Monitoramento do Sistema Carcerário, do Tribunal de Justiça do Amazonas,  Ministério Público do Estado (MP-AM), bem como será transmitido para o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC-R),  de acordo com Bonates.

Para ele, a medida vai dar mais transparência ao processo. “O juiz ou o promotor vai  poder acessar as imagens de casa mesmo, do seu computador. O sistema é seguro e eles também vão poder acompanhar o sistema prisional mais de perto. Já no CICC, se houver uma rebelião, de lá, o grupo de gerenciamento de crise já consegue visualizar o problema e esquematizar o plano de ação”, garantiu ele.

Para o Procurador-Geral do Ministério Público do Amazonas (MPAM), Carlos Fábio Monteiro, trata-se de mais uma ferramenta para combater a corrupção no sistema prisional.


Confira galeria de imagens do COC

Publicidade
Publicidade