Domingo, 13 de Outubro de 2019
Notícias

Sem confirmar cortes, governador do AM José Melo prevê ano ruim

O governador José Melo afirmou que, “caso seja necessário”, cortará gastos com a máquina para manter serviços públicos



1.gif Para uma plateia formada por secretários de Estado e os 24 deputados estaduais eleitos, o governador José Melo afirmou que 2015 vai exigir atenção redobrada na área econômica
04/02/2015 às 09:19

Na abertura das atividades do ano legislativo, ontem, o governador José Melo (Pros) abriu sua mensagem aos deputados estaduais afirmando que o Amazonas viverá “um ano de dificuldades financeiras”, mas que isso não afetará a qualidade dos serviços públicos. “De tudo estou certo de uma questão: os serviços oferecidos pelo Estado não vão sofrer alteração em qualidade”, prometeu Melo.

Segundo o governador, 2015 vai exigir atenção redobrada na área econômica. Apesar do alerta, a mensagem não dá como certa a redução de gastos. No texto lido pelo governador, ele deixa entender que só fará cortes para reduzir o custeio da máquina “caso seja necessário”.

Melo afirmou que pensará sempre na manutenção e ampliação dos serviços públicos antes de tomar qualquer decisão. “Toda e qualquer decisão virá para confirmar nossa disposição em ampliar o atendimento e a prestação de serviços – só assim o Estado cumpre seu papel essencial que é cuidar e atender os cidadãos”, disse o governador.

O governo de Melo, segundo ele, pretende economizar, ao ano, R$ 700 milhões com o enxugamento da máquina. O que o governo não diz é como fará essa economia. Com a reforma administrativa, Melo diz que pretende extinguir e fundir pelo menos 10 secretarias. Ontem, em entrevista, Melo disse que há muita especulação em torno da reforma, mas que hoje daria o seu “toque” final nas mudanças.

“Até então, vários amigos trabalhavam na formatação da reforma. Hoje (ontem) é que vou analisá-la e dar o meu toque. Até agora não tem nenhuma decisão sobre qual ou quantas secretarias serão extintas ou não. A verdade é que a reforma não se restringe só na questão de diminuir a estrutura administrativa do Estado, a reforma é muito mais abrangente. Ela esta na razão da redução dos custos dos serviços prestados, seja em qualquer ramo, segurança, limpeza, manutenção”, explicou.

Prioridades

Durante a leitura da mensagem, o governador destacou que pretende, até 2018, aumentar de 25% para 30% o percentual de recursos repassados para a área de Educação. Além de implantar novos projetos como o “Saber Fazer”.

Há ainda o compromisso com o avanço da obra da Cidade Universitária e inauguração de 13 novos núcleos da UEA no interior este ano.

Na leitura Mensagem Governamental, José Melo declarou que o programa Ronda no Bairro será reestruturado e o governador vai lançar o “Todos Pela Vida”, voltado à prevenção da criminalidade.

Na produção rural, José Melo afirmou que pretende expandir o orçamento do setor e garantir o asfaltamento de estradas vicinais e centrais de abastecimento nos municípios. Outra meta é implantar o programa “Terra Produtiva”.

Mensagem podia ser melhor

Os deputados de oposição, Alessandra Campêlo (PC do B) e Luiz Castro (PPS) disseram ter ficado parcialmente satisfeitos com os projetos do governo expostos na mensagem.

“Uma das coisas que me deixou animada foi a criação do fundo de incentivo ao esporte porque foi uma das minhas propostas em campanha. Por outro lado, não ficou claro se, na reforma administrativa, ele pretende extinguir a Secretaria da Mulher. Vamos aguardar a chegada da mensagem do Executivo que traz a reforma administrativa para nos posicionarmos”, disse Alessandra Campêlo.

Já o deputado Luiz Castro falou que esperava um pouco mais de “ousadia” na área da Educação. “Eu espero que ele se anime mais, quem sabe a partir do ano que vem ele (José Melo) apresente metas mais abrangentes na área de Educação”, declarou o parlamentar.

Primeiro ato: aprovar reforma

A primeira missão da base aliada do governador José Melo (Pros) na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) será a aprovação do projeto que prevê a mensagem governamental e que chega a Casa na próxima segunda-feira, 9. Ontem, durante entrevista, Melo garantiu que não pretende impor um prazo para a ALE aprovar a proposta.

“Não posso fazer isso, até mesmo porque eu não estou pedindo regime de urgência. Mas por outro lado, a urgência que tenho é porque preciso começar a trabalhar para ter um governo nos trilhos a partir de março, já com todos os secretários e mudança que tiverem que ser feitas, mas temos aí até o final do mês”, garantiu.

Já o presidente da ALE, deputado Josué Neto (PSD) traçou meta. “Existe uma orientação do governador Melo para aprovarmos (a reforma administrativa) nos próximos sete dias úteis”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.