Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
ELEIÇÕES

Sem Lula, Bolsonaro lidera com 22% contra 16% de Marina, diz Datafolha

Na sequência aparecem os candidatos Ciro Gomes (PDT), com 10%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%, Alvaro Dias (Podemos), com 4%, e Fernando Haddad (PT), também com 4%



Ok_1882E0E9-8B13-4E25-A79A-87F7F49D8712.jpg Foto: Reuters
22/08/2018 às 09:53

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, lidera a corrida presidencial com 22% das intenções de voto quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não aparece na disputa, seguido por Marina Silva (Rede), com 16%, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (22).

Na sequência aparecem os candidatos Ciro Gomes (PDT), com 10%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%, Alvaro Dias (Podemos), com 4%, e Fernando Haddad (PT), também com 4%, apontou o levantamento divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo.



A pesquisa, que tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, mostrou ainda que, no cenário sem Lula entre os candidatos, 22% pretendem anular o voto ou votar em branco, e 6% estão indecisos

No cenário em que Lula aparece como candidato, o ex-presidente lidera com 39% de apoio, seguido por Bolsonaro (19%), Marina (8%), Alckmin (6%), Ciro (5%) e Dias (3%). Nesse quadro, os votos nulos e brancos somam 11 %e os indecisos são 3%.

Lula está preso desde o início de abril cumprindo pena pela condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP) no âmbito da operação Lava Jato, e deve ser impedido de disputar a eleição devido à Lei da Ficha Lima. O ex-presidente alega inocência.

O Datafolha também apontou que 48% dos entrevistados não votariam em um candidato apoiado por Lula, enquanto 31% disseram que votariam com certeza e 18% disseram que talvez votassem em um nome indicado pelo ex-presidente.

No levantamento anterior do Datafolha feito em junho, quando o quadro de candidatos ainda não estava definido, Lula tinha 30% de apoio no cenário em que era incluído, seguido por Bolsonaro (17%), Marina (10%), Ciro (6%), Alckmin (6%) e Dias (4%).

No quadro sem Lula e com Haddad como candidato do PT, o presidenciável do PSL liderava em junho com 19%, tendo na sequência Marina (15%), Ciro (10%), Alckmin (7%) e Dias (4%).

O levantamento deste mês também apontou que Bolsonaro é o candidato com maior rejeição. Segundo o Datafolha, 39% dos entrevistados disseram que não votariam no presidenciável do PSL de jeito nenhum. Lula vem a seguir, com 34% de rejeição, contra 26% de Alckmin, 25% de Marina e 23% de Ciro.

Em simulações de 2º turno, o Datafolha apontou que Lula venceria todos os adversários nos cenários pesquisados, levando a melhor contra Alckmin (53 a 29), Marina (51 a 29) e Bolsonaro (52 a 32).

Sem o ex-presidente, Marina venceria Bolsonaro (45 a 34) e Alckmin (41 a 33), enquanto Bolsonaro venceria apenas Haddad (38 a 29). Alckmin, por sua vez, venceria Ciro (37 a 31), Bolsonaro (38 a 33) e Haddad (43 a 20).

O Datafolha ouviu 8.433 eleitores, entre os dias 20 e 21 de agosto, em 313 municípios do país. O levantamento é o primeiro do instituto após os registros das candidaturas ao Palácio do Planalto.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.