Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sem recursos, novo prefeito de Coari apela para bancada

Raimundo  Magalhães foi a Brasília pedir apoio dos parlamentares na busca por dinheiro para o município  20/08/2015 às 11:50
Show 1
Prefeito Raimundo Magalhães foi recebido no gabinete da senadora Vanessa Grazziotin com a promessa de emenda
Antônio Paulo Brasília

Passados os episódios de disputa jurídica e eleitoral, o novo prefeito de Coari, Raimundo Magalhães, resolveu procurar os parlamentares do Estado do Amazonas, no Congresso Nacional, para pedir apoio político e buscar recursos por meio de emendas e projetos. Foi atendido pelas senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Sandra Braga (PMDB-AM) e pelo deputado federal Arthur Bisneto (PSDB-AM). Magalhães também foi recebido nos Ministérios do Esporte, Integração Nacional e Educação.

“A situação do município de Coari é precária. Muitas obras não foram concluídas e outras sequer saíram do papel, mesmo com os recursos empenhados e liberados. Em função disso, o novo prefeito enfrenta problemas com relação à inadimplência perante os órgãos federais. Para este ano, estamos prestes a liberar uma emenda, de minha autoria, no valor de R$ 400 mil para compra de equipamentos hospitalares que vai ajudar muito o município”, contou a senadora.

Ainda com a intermediação de Vanessa Grazziotin, Magalhães esteve no Ministério do Esporte onde apresentou um projeto para a construção de um estádio de futebol em Coari, com cinco mil lugares e no valor de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões. “Com 82 mil habitantes e um grande número de atletas talentosos, Coari não tem um estádio de futebol porque o que existia foi transformado em cemitério (pelo ex-prefeito Adail Pinheiro). Agora, esperamos que o Ministério do Esporte nos ajude na construção de um novo palco do futebol coariense”, declarou o prefeito.

Enchente

Com a senadora Sandra Braga (PMDB/AM), Raimundo Magalhães pediu apoio para conseguir, junto ao Ministério da Integração Nacional, recursos para obras de recuperação de casas, escolas e instituições públicas danificadas pelas enchentes.

“Este ano, tivemos a maior cheia da história do município. Mesmo com a descida das águas, ainda está muito cheio em Coari. Precisamos de ajuda do governo federal para recuperar o que foi destruído”, relatou o prefeito. Magalhães informou que está pedindo ao Ministério da Integração Nacional uma complementação na ajuda de R$ 515 mil já enviados pelo governo federal ao município. Ele entregou documento solicitando um aporte de R$ 2,1 milhões. Sandra Braga prometeu levar a reivindicação ao ministro Gilberto Ochhi.

O deputado Arthur Bisneto prometeu emenda ao Orçamento da União, no valor de R$ 700 mil para infraestrutura em Coari.

Fim da turbulência

Com a cassação do ex-prefeito Adail Pinheiro pelo TSE, assumiu a Prefeitura de Coari o empresário Raimundo Magalhães, o segundo colocado nas eleições de 2012. Mas, desde 9 de fevereiro até meados de abril deste ano, quando Magalhães foi empossado, passaram pelo posto o vice-prefeito eleito, Igson Monteiro, que renunciou em fevereiro, dois presidentes da Câmara Municipal e o vereador mais idoso de Coari.

Apenas recentemente, o cenário político do município parece ter se estabilizado após episódios violentos que incluem destruição de propriedades privada. O período mais turbulento foi na breve gestão de Igson Monteiro, que renunciou após denúncias de empregar parentes.

Publicidade
Publicidade