Publicidade
Cotidiano
Notícias

Semana de mobilização debate a prevenção da Hanseníase

Estado registrou 489 novos casos  ano passado. Em 25 anos de combate à hanseníase, houve uma redução de 81,8% dos casos 20/01/2015 às 21:03
Show 1
Entre 1989 e 2014, o Estado registrou uma queda de 81,8% nos casos de detecção geral da hanseníase, de acordo com a série histórica de acompanhamento da doença
acritica.com ---

A Fundação Alfredo da Matta (Fuam), vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), inicia nesta quinta-feira  a semana de mobilização pelo Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, celebrado no último domingo do mês de janeiro (dia 25). Segundo o diretor-presidente da Fuam, Helder Cavalcante, o objetivo da campanha é chamar a atenção da população sobre esta doença que, em 2014, registrou 489 casos novos no Amazonas.

Entre 1989 e 2014, o Estado registrou uma queda de 81,8% nos casos de detecção geral da hanseníase, de acordo com a série histórica de acompanhamento da doença. “Mesmo assim, a hanseníase ainda é uma doença muito importante em nossa região e os esforços para continuar ampliando e descentralizando o diagnóstico e tratamento desta enfermidade são permanentes”, disse o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim. “A Hanseníase é uma doença grave, mas que tem cura e tanto o diagnóstico quanto o tratamento estão disponíveis na rede pública”, destacou o secretário.

Programação

Na sede da Fuam, dentre as atividades previstas para este período de mobilização que vai de 22 a 30 de janeiro, destacam-se as palestras nas salas de espera dos pacientes, com orientações sobre sinais, sintomas e tratamento da hanseníase; exibição de vídeos educativos; distribuição de cartilhas informativas; dramatizações e, principalmente, o incentivo ao exame periódico de pele que pode ser realizado em qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS).

A mobilização programada pela Fuam terá caráter educativo, para alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da hanseníase, por meio de exames de pele, que são realizados de forma rotineira pela rede básica de saúde. Além da Fundação Alfredo da Matta, as UBSs também realizam os exames, onde há profissionais capacitados para a realização dos exames dermatológicos. Os casos suspeitos da doença são encaminhados para a Fuam, que é centro de referência no tratamento da Hanseníase.

 A mobilização pelo Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase marca o início das ações programadas pela Fuam para este ano, para fortalecer o combate à doença. Estas ações serão intensificadas, especialmente, para ampliar a busca por novos casos da hanseníase na capital e no interior, assegurando o início imediato do tratamento.

 Dentre as estratégias, há o monitoramento entre estudantes da rede pública de ensino, com ações nas escolas municipais e estaduais; além do monitoramento nos municípios do interior do Estado, que incluem ações como capacitação de profissionais de saúde, mutirões de exames para a população, visita aos municípios, entre outros.

Prioridade

Na Fundação Alfredo da Matta (Fuam), familiares e todos os contatos de um paciente que esteja com hanseníase têm prioridade no atendimento e podem fazer regularmente acompanhamento com os especialistas.

Publicidade
Publicidade