Publicidade
Cotidiano
Notícias

Semana mundial do aleitamento materno encerrou, mas a campanha para doação continua

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), entre  2013 e o primeiro quadrimestre de 2015,  8.604 crianças foram beneficiadas por leite humano captado nos três Bancos de Leite. Nesse período, mais de quatro mil litros de leites foram coletados 07/08/2015 às 21:18
Show 1
Ao passar nas casas de doadoras para coletar o leite, os profissionais dos bancos de leite já deixam novos potes.
Luana Carvalho Manaus (AM)

Não é preciso ser lactante para colaborar com a campanha de aleitamento materno. Os Bancos de Leite Humano da cidade também necessitam de potes de vidro com tampas de plástico para o armazenamento. É um simples ato de contribuição, que, aliado às doações de leite, podem ajudar a salvar muitas vidas.

“Também pedimos para que a população colabore com os potes, pois é um material indispensável. Quando passamos na casa da doadora para pegar o leite materno, aproveitamos e já deixamos os potes para ela armazenar o próximo leite”, explica Ana Hilda Menezes, coordenadora do banco de leite da maternidade  maternidade Azilda Marreiros, no Conjunto Galileia, Zona Norte.

 A Semana mundial do aleitamento materno encerrou ontem, mas a campanha continua. “A mãe pode retirar esse leite e armazenar por até 15 dias. Se ela tiver cadastro nos bancos de leite, basta ligar que, em no máximo sete dias, passaremos para coletar”, completou Ana. 

Todo o leite doado é pausteurizado e distribuído para as crianças que estão nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de uma maternidade ou do hospital infantil.

Ainda segundo a coordenadora, o processo dura, em média, sete dias até o leite ser liberado. “O leite passa por um processo de pasteurização e uma série de análises para verificar, por exemplo, a acidez do leite”. O banco de leite do Conjunto Galiléia, conta, em média, com 40 doadoras fixas.

“Ultimamente temos conseguido suprir a necessidade dos nossos bebês da UTI. Como somos uma maternidade pequena, esse número supre. Mas em outras maternidades, a demanda é maior e por isso é tão importante que as mamães doem”, orienta.

Mãe de primeira viagem, Thanata Marques, 23, começou a doar em fevereiro deste ano, quando a filha tinha dois meses de nascida. “Eu fui  atrás de ajuda por causa do meu peito, pois estava muito ferido e eu queria tirá-la do peito, mas ao mesmo tempo eu sabia da importância. Eu estava tentando de tudo para não tirá-la.

Chegando lá eu descobri o quanto  outros bebês necessitavam do leite. Meu sentimento é de realização em poder ajudar esses pequeninos, fico  muito feliz e grata em saber que estou contribuindo para a saúde deles”.

Beneficiários

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), entre  2013 e o primeiro quadrimestre de 2015,  8.604 crianças foram beneficiadas por leite humano captado nos três Bancos de Leite. Nesse período, mais de quatro mil litros de leites foram coletados.

Publicidade
Publicidade