Publicidade
Cotidiano
Notícias

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia inicia com extensa programação no AM

Estudantes de escola pública se encantam com a aplicação de conhecimento científico para a solução de problemas 14/10/2014 às 14:17
Show 1
Marlene Araújo apresenta aos alunos da escola São Benedito, localizada na Cidade de Deus, o potencial do robô NAO, feito a partir de equações matemáticas
jéssica vasconcelos ---

A 11ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) iniciou ontem com uma extensa programação nas universidades e institutos de pesquisa. Na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) alunos da escola municipal São Benedito, localizada no bairro Cidade de Deus, tiveram a oportunidade de conhecer algumas das pesquisas desenvolvidas por professores e acadêmicos dos cursos de informática, engenharia naval e engenharia mecânica.

Entre as várias atividades desenvolvidas na universidade, a que mais chamou atenção dos estudantes foi o robô NAO que de acordo com a coordenadora do Núcleo de Tecnologia Assistiva, Marlene Araújo, auxilia no ensino e aprendizagem de alunos com necessidades especiais.

Ainda de acordo com Marlene, o robô auxiliou primeiro no projeto de desenvolvimento de Bio-Prótese de Pé e Tornozelo de Madeira Laminada e Colada e agora vai ajudar também na comunicação de alunos especiais. “O projeto ainda está sendo desenvolvido em parceria com escola Normal Superior da universidade e vai auxiliar os professores a se comunicarem melhor com esses estudantes porque o robô prende atenção da criança”, disse Marlene.

Segundo a coordenadora, o uso do NAO para essa finalidade está sendo testado em países como Portugal, França e Estados Unidos e a intenção é verificar a longo prazo a eficiência do robô com os alunos brasileiros. “O professor não vai ser substituído, a intenção do projeto é oferecer um recurso a mais na hora de ensinar”, acrescentou Marlene.

Aline Pimentel, 14, do 9º ano, foi uma das estudantes que visitou a universidade. Segundo Aline de tudo que foi mostrado, o robô NAO foi o que mais chamou atenção porque a professora explicou que ele surgiu a partir de equações matemáticas. “Nós não gostamos muito de matemática, mas talvez com robô fosse mais legal aprender essa matéria”, disse a estudante.

Além do robô Aline contou que visitou os laboratórios de engenharia mecânica e química e pode ver alguns experimentos. “Não se vou querer seguir alguma dessas profissões, mas foi legal conhecer e ter um dia diferente daquele que temos na escola”, acrescentou a estudante da rede pública.

A semana de C&T segue até domingo em todo o país.

Publicidade
Publicidade