Publicidade
Cotidiano
migração

Semana do Migrante tem programação até o próximo domingo (24) em Manaus

Propondo a integração de imigrantes e refugiados, 33ª edição da Semana conta com missas, debates, roda de conversas, apresentação de filmes, curta-metragem e celebrações interculturais 19/06/2018 às 17:14 - Atualizado em 19/06/2018 às 17:23
Show migrante
No mês passado, um grupo de 165 venezuelanos, cujo país está em crise econômica e política, desembarcou em Manaus. Foto: Winnetou Almeida - 04/mai/2018
Silane Souza Manaus (AM)

Com o tema “A vida é feita de encontros: Braços abertos sem medo para acolher”, a 33ª Semana do Migrante segue até o próximo domingo (24) visando o incentivo à integração de imigrantes e refugiados nos países que os acolhem. Em Manaus, haverá missas, debates, roda de conversas, apresentação de filmes, curta-metragem e celebrações interculturais.

Nesta terça-feira (19), desde as 14h, profissionais e acadêmicos de medicina da Universidade Federal do Amazonas realizam diversas atividades na quadra da Paróquia São Geraldo, na avenida Constantino Nery, bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul. No local, ocorre atendimento médico, imunização, testes rápidos de hepatite, sífilis e HIV, atividades lúdicas, entre outros.

Amanhã, quando se comemora o Dia Mundial do Refugiado 2018 (20 de junho), começa a mostra de filmes “Olhares sobre o Refúgio”, com títulos inéditos e outros já consagrados pela crítica. As exibições são gratuitas e acontecem até sábado (23), a partir de 18h30, no Casarão de Ideias, localizado na rua Barroso, Centro.

A principal atração da mostra é o documentário “Zaatari – Memórias do Labirinto”, selecionado para o Festival Internacional de Documentários "É Tudo Verdade", de 2018. Intenso e surpreendente, o filme traz à tona a pior crise migratória na história da humanidade desde a Segunda Guerra Mundial: o conflito na Síria – e a busca por reconstruírem suas vidas em um dos maiores campos de refugiados do mundo, na Jordânia.

Outro documentário que integra a programação é “Exodus: De Onde Eu Vim Não Existe Mais”, que traz a realidade de países como Sudão do Sul, Mianmar, Argélia e Togo, e conta com a narração de Wagner Moura. Já “Ivan”, de Guto Pasko, retrata o reencontro de um homem que viveu 68 anos como refugiado com parentes e amigos em seu país de origem.

O evento será realizado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) em parceria com a Caritas Manaus e o Centro Cultural Casarão de Idéias.

Na quinta-feira (21), uma mesa-redonda vai debater a problemática dos refugiados no Amazonas, a partir dos desafios de propor políticas públicas efetivas nesse setor. O evento é aberto ao público e será realizado das 8h30 às 12h, no auditório Rio Solimões do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal do Amazonas (IFCHS/Ufam).

De acordo com o pesquisador da Ufam Sidney Silva, esta é a quarta edição do evento, mas a primeira vez em que aborda especificamente ‘os refugiados’. “Optamos por trazer essa temática em razão da atenção que ela tem recebido no contexto brasileiro e mundial”, disse destacando, ainda, que a presença de novos grupos de imigrantes, entre eles haitianos e cubanos, e, mais recentemente, venezuelanos, impõe mudanças nos locais de recepção.

No sábado, às 14h tem “Diálogos da partida: Mulheres Migrante”, no Musa do Largo São Sebastião, no Centro. Já às 19h, haverá a Festa Cultural do Migrante, que promete reunir a população refugiada e migrante da cidade numa noite de integração e celebração intercultural. O evento, promovido pela Caritas Manaus, acontecerá na quadra da Paróquia São Geraldo, no bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul.

Segundo a coordenadora da Pastoral do Migrante, Rosana Nascimento, a festa contará com apresentações artísticas, danças, música e gastronomia típica dos países dos imigrantes e refugiados que se encontram em Manaus. “Qualquer cidadão pode prestigiar o evento. Nossa intenção é motivar as pessoas para olhar para o migrante e refugiado com mais atenção e tentar entender a situação do outro independente da nacionalidade, religião. O acolhimento é muito importante”.

Saiba mais

A 33ª Semana do Migrante se encerra neste domingo, às 19h, com celebração eucarística na Paróquia de São Geraldo. A abertura da Semana do Migrante aconteceu no último domingo (17), na Igreja Nossa Senhora dos Remédios. Na ocasião, a celebração eucarística foi realizada em espanhol pelo padre haitiano James-Son Mercure. 

Publicidade
Publicidade