Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
ECONOMIA

Sepror e Afeam alinham plano emergencial para acesso a crédito durante a pandemia

Setor primário tem R$ 27 milhões disponíveis junto à Afeam para minimizar os impactos da pandemia



cred_rural_sep_afeam_D2B9FBB7-7476-4A3C-81C5-BE6030195F03.jpg Foto: Divulgação
05/05/2020 às 15:25

Durante videoconferência na manhã desta terça-feira (5), a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), sua vinculada, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), e a parceira Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) alinharam estratégias para facilitar a concessão de crédito rural para o setor primário, durante a pandemia de Covid-19.

Na ocasião, representantes da Afeam apresentaram uma planilha por meio da qual os beneficiários têm limite de até R$ 150 mil, para produtor pessoa física, e de até R$ 1 milhão, para produtor pessoa jurídica.



Para pessoa física, as taxas de juros caíram de 4% ao ano para 3,6%; já para pessoa jurídica, as taxas de juros caíram de 8% ao ano, para 7,2%; representando uma redução de 10%.

“Vale destacar ainda que, com o pagamento em dia, o produtor ainda tem um bônus na redução da taxa de juros de 25%”, completou Thiago Barroso, coordenador do Crédito Rural da Afeam.

Ele destacou ainda alguns itens que foram dispensados para facilitar o acesso ao crédito, com o objetivo de diminuir os impactos da pandemia no setor primário. Aí se inclui a dispensa de visita técnica em conjunto Afeam e Idam, de declaração do propósito para realização de pesquisas cadastrais, de registro da célula de crédito rural em cartório, da regularidade do ITR, entre outros.

“Até o momento, o crédito rural teve 14 operações contratadas e 23 operações em análise, totalizando um crédito no valor de R$ 690.086,54”, destacou Thiago.

A diretora-presidente do Idam, Eda Oliva, destacou a importância de um projeto bem feito para realização de um crédito responsável e qualificado.  “Dinheiro é um capital, é uma mercadoria como outra qualquer, e sendo assim devem ser respeitados seus prazos, seus juros, e o Idam deve realizar as visitas de supervisão aos projetos, como determina o Manual de Crédito”, afirmou Eda.

Para o secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, as propostas de flexibilização de crédito para o produtor rural são atrativas e vantajosas.

“Está muito claro que o crédito é para todos, e as condições que foram colocadas são excelentes. As taxas de juros são atrativas e as condições de pagamento são muito vantajosas. E a gente precisa ajudar esse produtor rural do interior. Essa é a determinação do governador Wilson Lima, para que possamos estar preparados para esse pós-pandemia, porque a meta será retomar o crescimento econômico e gerar emprego”, concluiu Petrucio.

Regras de flexibilização

Segundo o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinicius Castro, é importante salientar as regras de flexibilização de renegociação de créditos, que incluem prorrogação de prazo para pagamento de até 180 dias; suspensão de envio para órgãos de restrição (SPC, Serasa, protesto); redução de 10% na taxa de juros, podendo chegar a 25%; procedimentos realizados de forma on-line; pessoas com restrições cadastrais em contas de consumo como água, luz e telefone passam a ter até R$ 7.500 para pessoa física e até R$ 20 mil para pessoa jurídica; pagamento de entrada facultativo; e manutenção do conceito do cliente na Agência (não haverá sanções punitivas).

Serviço: Concessão de crédito rural para o setor primário

Adesão: Até o dia 30 de junho de 2020
Forma de acesso: Por meio do atendimento virtual (chat) no site da Afeam ou pelo Whatsapp (92) 99126-4047
Horário de atendimento: Das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira
Formalização: Assinatura de um novo contrato/instrumento de crédito

*Com informações da Assessoria de Imprensa

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.