Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘Serei do povo. Onde estiver a voz do povo, lá estarei’, diz Pastora Luciana, nova vereadora da CMM

Com a eleição de Dr. Gomes para a Assembleia Legislativa,  Pastora Luciana  herdou a vaga na Câmara Municipal de Manaus. Na entrevista a seguir, ela fala da sua vida e das razões que a fizeram ingressar na política 11/10/2014 às 16:07
Show 1
Pastora assume vaga na Câmara Municipal de Manaus
janaína andrade ---

Luciana Alves da Silva, 32 anos, a “Pastora Luciana” (PP), deverár ser, a partir de janeiro de 2015, a mais nova integrante da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Isso porque, com a eleição do vereador Dr. Gomes (PSD) a deputado estadual, a pastora herdará a vaga dele.

Ex-dependente química e moradora de rua, Luciana decidiu ingressar na vida pública e, até aqui,  concorreu, sem êxito, em três eleições: duas para deputada estadual e uma para vereadora.

Na CMM, nos dois anos que terá de mandato, a pastora afirma que vai defender a construção de um centro de reabilitação para mulheres com dependência química, causa que milita nos seis anos em que se tornou líder espiritual da igreja Ministério Apostólico Sol Brilhante.

Luciana ficou 2ª suplente da coligação “Melhor Pra Manaus” (PP/PSD/PCdoB), no pleito de 2012, quando recebeu 5.654 votos. E confirmada sua entrada na CMM, será a 7ª mulher a compor a bancada feminina na Casa. A seguir, trechos da entrevista.

O que lhe atraiu na carreira política?

Minha mãe separou do meu pai quando eu tinha oito anos. Eu trabalhava nas feiras lavando verduras e o meu salário era ossos e verduras. Com 13 anos, me envolvi com uma pessoa usuária de drogas, me apaixonei, fugi de casa e fui para Santarém com ele, mas eu apanhava muito. Com 14 anos, engravidei, e comecei a roubar as drogas dele para usar. Depois disso, voltei para Manaus. Meu ex-companheiro foi assassinado, aí que me tornei alcoólatra. Mas o reciclador da minha vida me deu uma nova chance, me tirou do lixo, me deu dignidade, me amou, colocou no meu caminho um esposo maravilhoso, me deu uma nova família e me deu um nome. Então eu percebi que tinha que entrar na política para colocar um sonho em prática que é trabalhar com um centro de dependência química para mulheres.

No dia da eleição, 5 de outubro, a senhora foi detida e acusada de crime eleitoral. O que houve?

No domingo, vim para o meu comitê. Ao meio-dia, uma assistente disse que estava com pouco movimento no ‘Quarentão’ (local onde vota), então me levantei e fui votar. Votei, e entrei novamente no carro. Quando chegamos à bola do 23, o Exército me pediu para parar o carro. Não acharam nada, mas na carroceria tinha uma caixa com um pouquinho de santinhos e DVDs de testemunhos e projetos. Disseram que eu deveria ir falar com a major. Quando chegamos lá, ela perguntou: “Ela estava entregando algum material de campanha?”. Eles responderam: não. A major me pediu para irmos até o TRE-AM esclarecer o ocorrido. Só precisei (no TRE-AM) dar a minha declaração, assinei um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e fui liberada. Quando saí de lá a notícia já estava espalhada, que eu era uma bandida, mas eu perguntei ao Senhor e ele me respondeu: “Vá e ore!”. E eu fui. No dia seguinte, fui abençoada com a notícia de que assumiria a vaga do Dr. Gomes na Câmara.

Como é o trabalho que a senhora realiza na igreja com os dependentes químicos?

Hoje eu só acompanho outros pastores que já possuem centros de reabilitação, pois nunca tive condições de construir um. Mas hoje esse trabalho é feito com bastante dificuldade. O meu projeto maior, agora, como parlamentar, é fazer um centro para dependentes químicos. Porque a mulher quando é viciada ela vai e se prostitui, daí logo engravida, e esse filho é jogado na casa de parentes, isso quando não é deixado para a adoção. E hoje existem cada vez mais mulheres viciadas em Manaus, então, há uma urgência da criação e construção de um centro.

Qual é a função de um vereador?

Supervisionar o trabalho do prefeito (Artur Neto). O vereador está na CMM sendo os olhos da população. E o que eu enxergar de errado, vou brigar para reaver.

A senhora é do partido da candidata Rebecca Garcia, que hoje concorre como vice-governadora na chapa do senador Eduardo Braga (PMDB), que faz oposição ao atual prefeito Artur Neto, aliado do candidato à reeleição, José Melo (Pros). A senhora será da base do prefeito ou de oposição?

Vou ser a vereadora do povo. Uma vez que eu estiver lá, onde estiver a voz do povo, lá estarei.

A senhora conhece o trabalho da bancada feminina da CMM?

Conheço apenas a vereadora Socorro Sampaio, que foca em projetos no âmbito social, mas, com certeza, quando eu chegar, terei o prazer de conhecer as outras quatro parlamentares e me agregar a elas, para que nós, da base feminina, possamos, juntas, lutar pelos direitos das mulheres.

Os movimentos ligados às mulheres reclamam da falta de proximidade e diálogo com o parlamento. É possível mudar isso?

Eu quero estar envolvida em tudo que puder ajudar e somar. Os movimentos feministas podem contar comigo, pois não adianta eu dizer, agora, que vou entrar para fazer tudo e não fazer nada. Vou fazer o que tiver ao meu alcance, mas estarei aberta para caminhar e aprender com estes movimentos.

Como vê a campanha para o governo estadual?

Acredito que nesta eleição vai ganhar aquele que já está constituído no coração de Deus, e que a gente ore para que a vontade Dele se cumpra. O meu candidato é o Eduardo Braga, e ganhando ou perdendo, nós somos mais que vencedores.

Como avalia a atuação da CMM?

Verdadeiramente eu ainda não conheço muita coisa sobre a Câmara. Mas a Casa Legislativa é como uma escola, e estarei lá para aprender e para somar, jamais para subtrair.

Além do projeto do centro de reabilitação, quais serão suas bandeiras na CMM?

Irei desenvolver projetos de cunho social, principalmente relacionados à família e às mulheres, em especial. Ainda não sentei para conversar com o Dr. Gomes, mas com certeza deveremos conversar, ver quais projetos ficarão pendentes e iremos dar continuidade.

Perfil

Pastora Luciana

Idade:32 anos

Nome:Luciana Alves da Silva

Estudos:Ensino Médio Completo

Experiência: Após entrar para a Igreja Ministério Apostólica Sol Brilhante, há seis anos, tornou-se pastora e desde lá atua em centros de reabilitação de dependentes químicos. É também compositora de louvores e já gravou cds.

Publicidade
Publicidade