Publicidade
Cotidiano
Notícias

Serviços de agência de viagens online é a primeira opção para milhares de brasileiros

Várias agências, mesmo as que existam fisicamente, têm criado opções para que o cliente também possa comprar seu pacote de viagens e definir sua trajetória por meio de ferramentas virtuais 17/10/2015 às 18:30
Show 1
Destinos nacionais estão entre os preferidos por quem busca os serviços de agências digitais
acritica.com ---

Globalização, aumento de pessoas com acesso à Internet, ampliação da quantidade de aplicativos existentes. Toda essa revolução virtual vem causando mudanças também nas agências de turismo. Várias agências, mesmo as que existam fisicamente, têm criado opções para que o cliente também possa comprar seu pacote de viagens e definir sua trajetória por meio de ferramentas virtuais.

 Vice-presidente administrativo da Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV), Edmar Bull destacou que é impossível citar um percentual ou número de empresas do setor que aderiram a esse processo de modernização. “Os empresários precisam ter a consciência de que o mundo está cada vez mais moderno. Daqui a um ou dois anos, creio que a maioria das agências vão se adequar a essa inovação. Evidentemente se for do interesse dos proprietários”, declarou.

Entretanto, para o representante da ABAV, a modernização do serviço das agências de turismo não implicará no fim de suas sedes e filiais físicas. “Temos públicos para todos os tipos de propostas, sejam elas virtuais ou físicas. Chegaram a dizer que as lojas (independentemente do setor) físicas estão em extinção e que acabariam, mas eu duvido. Já escuto isso há anos e não vi isso acontecer nem em grandes potenciais no sentido de modernidade, como os Estados Unidos, por isso não acredito no fim das lojas físicas”, explicou.

Promoção e marketing

Sobre a concorrência entre as agências virtuais, Edmar Bull aconselha: “O marketing dessas empresas precisa ser muito bem feito. Por exemplo, nessa crise que o Brasil e o mundo passam, a maioria das famílias têm evitado sair do Brasil e alguns nem da própria cidade. Entretanto, se o marketing souber agir quando determinados pacotes entrarem em promoção, o pai de família pode estar em casa, receber um e-mail, por exemplo, conversar com a esposa e contratar o pacote por ver que está dentro do orçamento deles. A velocidade do aviso de promoções e escolher o momento adequado são aspectos fundamentais”, concluiu.

Os dois lados da moeda

A maior agência de viagens da América Latina possui serviços online há aproximadamente um ano. Para impulsionar o produto, a agência fechou uma parceria com uma grande empresa já consolidada no mundo virtual. A maior parte dos clientes utilizam as ferramentas tecnológicas para ter acesso a promoções, mais do que literalmente para adquirir os pacotes.

A parceria com a loja virtual fez com que as vendas crescessem em torno de 15%. “Jamais deixaremos de seguir com as lojas físicas. Mesmo com a praticidade da internet, as pessoas sentem mais segurança quando estão pessoalmente, na maioria dos casos”.

Dólar alto favorece parques

O crescente desejo dos brasileiros de viajar para destinos turísticos nacionais, motivado pela alta cotação da moeda americana, está impulsionando a visitação de parques temáticos do País. A expectativa é que a procura por esse tipo de destino acompanhe o aumento da cotação do dólar no mesmo período, passando de 17 milhões em 2014 para 18 milhões em 2015, de acordo com a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (Adibra).

De acordo com o Banco Central do Brasil, a cotação média do dólar em 2014 foi de R$ 2,35. Contudo, no período de janeiro a setembro de 2015 a cotação da moeda americana superou a média do ano anterior, atingindo a marca de R$ 3,16. O aumento foi de 34,4%.

O presidente da Adibra, Francisco Donatiello, afirma que a alta demanda está diretamente relacionada à movimentação da moeda nacional.

Publicidade
Publicidade