Quarta-feira, 08 de Abril de 2020
Notícias

Servidores da Suframa cruzam os braços e cobram votação da emenda para melhores salários

Cerca de 200 servidores se reuniram em frente à sede da autarquia para chamar alertar sobre a votação de medida que reestrutura o plano de cargos e salários dos servidores. A manifestação faz parte do estado de greve em que os servidores se encontram atualmente



1.jpg Todas as unidades aderiram ao movimento após serem aconselhadas a suspender as atividades nesta quarta-feira (3)
03/12/2014 às 11:05

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

Cerca de 200 servidores da Suframa cruzaram os braços na manhã desta quarta-feira (3) em frente à sede da autarquia. A paralisação faz parte das mobilizações do estado de greve que teve início no dia 25 de novembro. O objetivo dos servidores é chamar a atenção dos parlamentares para que a emenda à medida provisória 660/2014, que prevê uma reestruturação dos salários dos servidores da Suframa, seja votada na Câmara Federal.



Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato dos Servidores da Suframa (Sindframa), todas as unidades aderiram ao movimento após serem aconselhadas a suspender as atividades nesta quarta-feira. Possivelmente, uma nova paralisação acontecerá neste próximo sábado (6).

A medida provisória 660/2014, proposta pelo deputado federal Pauderney Avelino e pela senadora Vanessa Graziotin, altera a Lei n° 12.800 que dispõe de tabelas de salários, vencimentos, soldos e demais vantagens aplicáveis aos servidores civis. O salário dos servidores está defasado desde 2008 e a autarquia não possui um plano de carreira para os seus servidores.

Além do plano de cargos e salários, os servidores reivindicam melhoras condições na estrutura da Suframa e renovação de contratos de serviços essenciais como informática e reprografia que hoje estão vencidos. 



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.