Publicidade
Cotidiano
Notícias

Servidores da Suframa fecham a BR-319 durante manifestação nesta quarta-feira (22)

Funcionários acusam Governo Federal de não cumprir acordos feitos durante greve realizada no início do ano. Se não houver providências, eles ameaçam paralisar novamente as atividades 22/10/2014 às 10:51
Show 1
Paralisação é a terceira ocorrida na Suframa em 2014
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Cerca de 200 servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) estão fazendo uma manifestação na frente da autarquia, na rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho), na manhã desta quarta-feira (22). Segundo o Sindicato dos funcionários, eles reivindicam o cumprimento de uma série de acordos feitos com o Governo Federal no início do ano.

O protesto começou por volta de 8h30, e está previsto para durar até 11h. Esta já é a terceira paralisação da Suframa em 2014. Em outubro último, os servidores fizeram uma manifestação com o mesmo objetivo. Para dar fim à greve realizada em fevereiro deste ano, que durou até abril, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) prometeu revitalizar a estrutura da autarquia, que estaria cheia de problemas, como infiltrações, insetos e equipamentos defeituosos, além de criar um plano de cargos e salários e uma nova proposta orçamentária.

 
Cerca de 200 servidores participaram do ato (Jaíze Alencar)

A categoria ainda ameaçou, caso o governo continue a ignorar as reivindicações dos servidores, realizar uma nova paralisação no início de novembro. A greve deste ano durou 46 dias e interrompeu 70% das atividades do órgão, prejudicando o comércio e a indústria locais e gerando um prejuízo estimado em 300 milhões de reais.

 
Trânsito na BR-319 foi prejudicado pela manifestação (Divulgação/Patrulha da Cidade)

Paralisação aprovada em assembleia

“Conforme aprovado em reunião com os servidores no último dia 17, a medida é consequência do descumprimento de acordos firmados (com o Governo Federal)”, afirmou o Sindfram, em nota.

No documento, a direção sindical convida os servidores a paralisarem as atividades das 8h às 11h, tanto na sede quanto nas unidades descentralizadas da Suframa, localizadas no interior do Estado, bem como nos Estados de Roraima, Acre, Rondônia e Amapá. O movimento também prevê uma manifestação pacífica na frente dos prédios da instituição, com os servidores trajando vestes brancas.

A mobilização foi aprovada pela categoria em reunião ocorrida no dia 17 de outubro, onde foram discutidas ações diante do descumprimento dos acordos. Dos três termos assinados, apenas um foi totalmente cumprido: a compensação, entre os meses de abril e outubro, pelos servidores, das horas não trabalhadas durante o período da paralisação.


Publicidade
Publicidade