Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sete municípios amazonenses estão em situação de risco de epidemia de dengue

O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), divulgado nesta quinta-feira (12), pelo Ministério da Saúde, lista 340 municípios brasileiros classificados como situação de risco e 877 em estado de alerta 12/03/2015 às 17:00
Show 1
Cidades que apresentam índice acima de 3,9% das residências com foco de dengue correm risco de epidemia
Cinthia Guimarães Manaus (AM)

Sete municípios do Amazonas estão em situação de risco para a ocorrência de epidemias de dengue e febre chikungunya, de acordo com o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), divulgado nesta quinta-feira (12), pelo Ministério da Saúde.

Os 340 municípios brasileiros classificados como de risco apresentam larvas do mosquito em mais de 3,9% dos imóveis pesquisados. No Amazonas são eles Barcelos (5), Borba (8), Guajará (5,9), Itacoatiara (5,9), Lábrea (6,1), Maués (4,5) e Novo Airão (4,8). O índice de imóveis afetados corresponde à quantidade da população daquele município.

Manaus está na lista de municípios em estado de alerta para a epidemia de dengue, com 437 casos identificados nos meses de janeiro e fevereiro, embora o índice tenha diminuído de 3,9% em 2014 para 3,5% nos dois primeiros meses deste ano.

Também figuram na lista de cidades cujo número de focos da dengue é preocupante Coari (1,9), Japurá (2,3), Manacapuru (3,7), Manicoré (3,2), Novo Aripuanã (1,7), São Gabriel da Cachoeira (3,6) e Tefé (2,8).

Quanto mais focos de larvas em água parada em quintais e terrenos baldios, mais riscos a população apresenta de contrair a dengue

Em entrevista coletiva, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, pediu que as famílias reservassem 15 minutos para fazerem uma vistoria em casa e eliminar qualquer situação que possa acumular água parada, servindo de criadouro do mosquito. “São medidas simples, como tampar caixas-d’água, retirar pratos de vasos de plantas, limpar calhas, lavar vasilha de água de animais, entre outros recipientes de estocagem de água”, alertou.

Chikungunya

Quanto à febre chikungunya, a variação mais forte da dengue, houve seis casos identificados em Manaus, mas todos eles foram “importados” de pessoas que contraíram o vírus em países que fazem fronteira com o Brasil.


Publicidade
Publicidade