Publicidade
Cotidiano
POLÍCIA

Sete pessoas são presas durante operação policial no município de Maraã, no AM

Mandados de prisão envolvem diversos crimes como tráfico de drogas, associação criminosa e tortura. Entre os presos estão "piratas" que atuam no Rio Solimões 24/01/2018 às 16:54
Show suspeitos
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Sete pessoas foram presas pela Polícia Civil durante operação realizada ao longo dessa terça-feira (23) no município de Maraã (distante 634 quilômetros de Manaus). Os mandados de prisão envolvem diversos crimes e suspeitos de atuarem em roubos no Rio Solimões, chamados de “piratas”, foram capturados pela polícia.

De acordo com o delegado titular do Departamento de Polícia do Interior (DPI), Mateus Moreira, ao longo das diligências Aykson da Silva Soares, 20; Davi Melo de Almeida, 20, conhecido como “Davizinho”; Maique Nunes de Jesus, 28, e Raimundo da Costa de Oliveira, 20, foram presos em cumprimento a mandados de prisão preventiva por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa, sequestro, cárcere privado, tortura, ameaça e lesão corporal. A ordem judicial foi expedida no dia 4 de janeiro deste ano, pela juíza Priscila Pinheiro Pereira, titular da Comarca de Maraã.

Conforme o diretor do DPI, durante os trabalhos Alaiton Pinheiro de Almeida, 37; Felipe da Costa de Lima, 22, e Thales Efigênio Vargas, 30, foram presos em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Com eles foram encontrados dois rifles calibre 44, um rifle calibre 22 e um revólver 22, utilizados por infratores que atuam no Rio Solimões.

“As diligências foram iniciadas às 6h de terça-feira. A equipe conseguiu obter êxito nessa operação após trabalhos de inteligência que apontaram esses infratores como sendo indivíduos que dão suporte a uma organização criminosa que atua no rio Solimões, conhecida como 'Piratas'. Nossa equipe foi enviada com o intuito de colaborar para a manutenção da segurança em Maraã, para que a situação em que se encontrava o local permanecesse estável”, argumentou Moreira.

Ao término dos procedimentos cabíveis na 60ª DIP, Alaiton, Aykson, Davi, Felipe, Maique, Raimundo e Thales ficarão presos na carceragem da unidade policial, à disposição da Justiça.

Reforço de tropas

A ação em Maraã aconteceu após a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) enviar reforços policiais para o município na manhã da última segunda-feira (22), para conter ameaças de familiares de um traficante morto durante troca de tiros com a polícia no último domingo (21).

Na ocasião, para Maraã, a SSP-AM determinou o envio de reforços da Polícia Militar e, pela manhã, dez policiais de Tefé chegaram a Maraã para apoiar a equipe de policiais lotados no lugar. No domingo, a equipe do 3º Batalhão da Polícia Militar da cidade cumpriu mandado de prisão em nome de cinco homens envolvidos em crimes distintos. Durante as diligências, houve troca de tiros com a polícia e Francisco Raliton da Costa morreu. Familiares e amigos de traficantes que atuam no lugar passaram a ameaçar invadir a 60ª DIP.

De acordo com o vice-governador do Amazonas e secretário da SSP-AM, Bosco Saraiva, os reforços tiveram por objetivo manter o controle na cidade. “Maraã é uma região que tem muita ocorrência de tráfico e pirataria e houve a morte de um traficante que resistiu à prisão e trocou tiros com a polícia. Então, enviamos as equipes de policiais civis, incluindo do Grupo Fera, para assegurar a ordem na cidade”, declarou.

Publicidade
Publicidade