Publicidade
Cotidiano
discussão

Setor da piscicultura do AM pretende elevar produção a mais de 60 mil toneladas até 2018

Mesa-redonda sobre o tema faz parte das Jornadas de Desenvolvimento, que iniciaram na manhã desta terça-feira (12) e seguem até o dia 4 de maio 12/04/2016 às 11:13
Show thomas
Abertura das Jornadas de Desenvolvimento, realizada pela Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e inovação (Foto Euzivaldo Queiroz)
Saadya Jezine Manaus (AM)

"Elevar a produção a 100 mil toneladas". Essa é a meta apresentada pelo secretário de Estado de Planejamento, Thomaz Nogueira, para o setor da piscicultura do estado do Amazonas. O pronunciamento foi feito no primeiro dia do evento Jornadas de Desenvolvimento, realizado na manhã desta terça-feira (12), no auditório do Centro de Convenções Vasco Vasquez, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Destacando a potencialidade do setor, o engenheiro Daniel Borges, secretário-executivo de Pesca da Secretaria de Produção Rural (Sepror), disponibilizou dados interessantes. "São 3.500 piscicultores licenciados, sendo que 92% trabalham com o tambaqui, 5% com matrinxã e apenas 3% na produção de outros peixes", destaca. "Até o final de 2018, queremos chegar a 63 mil toneladas, fundamentalmente ampliando, revitalizando e viabilizando insumos e projetos. O objetivo maior é chegar a 100 mil", complementa.

Além do setor da piscicultura, o secretário Thomaz Nogueira atenta para o fortalecimento do atual modelo econômico centrado no Pólo Industrial de Manaus (PIM), "de forma integrada ao desenvolvimento dos demais eixos de potenciais negócios disponíveis com a exploração dos recursos naturais existentes no Estado", enfatiza.

Encontro

As Jornadas de Desenvolvimento iniciaram nesta manhã e seguem até o dia 4 de maio. Técnicos do Governo, setor privado e representantes de organizações ambientais, pesquisadores, debatem sobre as principais potencialidades da região, moldando uma nova matriz econômica ambiental para o Estado do Amazonas. 

O evento é organizado pela secretarias de Estado de Planejamento (Seplan-CTI), de Produção (Sepror) e de Meio Ambiente (Sema), que pretendem trazer à discussão as propostas do Governo para desenvolver a economia no interior, fortalecer o Polo Industrial de Manaus, e reafirmar a política de proteção do meio ambiente.

Os setores abordados ao longo do encontro, pertencem às matrizes de aquicultura e piscicultura, fruticultura, produtos florestais e madeireiros, cosméticos, fármacos e turismo. Em maio, os encontros estarão em torno da energia, minério, logística e organização. "É um momento fundamental para identitários os gargalos e solucionarmos", afirma o secretário de Estado de Produção Rural, Sidney Leite.

Publicidade
Publicidade