Publicidade
Cotidiano
Notícias

Setor hoteleiro de Manaus prevê estabilidade em 2015 após queda pós-Copa do Mundo

Estudo do Ministério do Turismo aponta que 2014 deve fechar com alta de 1,9% na taxa de ocupação. Em 2015, taxa deve permanecer a mesma. Número de hospedagens da capital foi segundo menor do Brasil durante Mundial: 55,9% 25/10/2014 às 19:53
Show 1
Turistas em visitas ao Teatro Amazonas. Hotéis de Manaus esperam alta na movimentação em 2015
JORNAL A CRITICA Manaus (AM)

Passada a Copa do Mundo, o desempenho do setor hoteleiro da cidade de Manaus não é dos melhores. A taxa de ocupação média em Manaus foi a segunda menor do Brasil durante a Copa, 55,9%. No primeiro semestre de 2014, caiu ainda mais, 54%. Mas a perspectiva para o desempenho consolidado do ano é positiva, com alta de 1,9%. Quanto à receita por quarto disponível, Manaus se destaca nesse cenário com previsão de crescer 5,5%, ficando atrás apenas das projeções para Natal (5,8%) e Cuiabá (6,2%). É o que revela o estudo “Perpectivas de Desempenho da Hotelaria”, realizado pelo Ministério do Turismo.

A ocupação hoteleira, o valor médio das diárias e a receita por quarto disponível (RevPAR) dos hotéis brasileiros devem ter aumento até o final de 2014 em relação ao ano passado. Em 11 das 17 cidades analisadas pelo estudo, a expectativa de crescimento da taxa de ocupação foi positiva.

As expectativas de variação da diária média em 2014 são bastante positivas, com crescimento em 16 das 17 cidades pesquisadas, como Cuiabá (17%), Rio de Janeiro (16,6%) e Brasília (16,1%).

“A realização da Copa do Mundo colaborou para o bom desempenho da rede hoteleira do Brasil no 1º semestre deste ano. Assim como a Copa das Confederações, os megaeventos impactaram majoritariamente as cidades-sede do evento, elevando a ocupação em dias de jogos e vésperas”, disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages.

Um estudo realizado com os estrangeiros que estiveram no Brasil durante a Copa mostrou que a média de permanência dos visitantes foi de 15,7 dias e pelo menos 48,2% deles se hospedaram em hotéis flats ou pousadas. A pesquisa é do Ministério do Turismo e Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.

FOHB

Há o estudo do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) nas cidades que concentram a maior parte da oferta hoteleira nacional, abrange 467 hotéis e 81 mil UHs em 16 cidades brasileiras, além da Grande São Paulo. Os resultados foram obtidos através de pesquisa com as 25 redes associadas ao FOHB.

Considerando os resultados de janeiro a junho de 2014, os hotéis de redes associadas ao FOHB no Brasil concluíram o período com uma taxa de ocupação de 62,80%, diária média de R$ 249,30 e receita por quarto disponível de R$ 156,56. Maio foi o mês com a maior taxa de ocupação.

Para 2015, as expectativas também são positivas. Cidades como Brasília e Goiânia devem apresentar crescimentos da taxa de ocupação de cerca de 3%. No segundo semestre do ano que vem, a perspectiva de crescimento varia de 0,5% a 4,0%. Em 2016, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos devem movimentar cerca de R$ 7 bilhões na economia do País e impactar a rede hoteleira do Rio da Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e São Paulo.

Publicidade
Publicidade