Publicidade
Cotidiano
ECONOMIA

Fábrica da Siemens deixa a Zona Franca e encerra atividades em Manaus

Siemens operava há 13 anos produzindo disjuntores e outros dispositivos elétricos. Segundo o Cieam, perda de competitividade da ZFM foi fator decisivo para desativação 28/06/2018 às 16:52 - Atualizado em 29/06/2018 às 12:17
Show 98
(Foto: Arquivo/AC)
Joubert Lima e Rebeca Beatriz Manaus (AM)

Após 35 anos, a última subsidiária da gigante alemã Siemens, deixa a Zona Franca de Manaus. A Siemens Eletroeletrônica está de saída da Polo Industrial de Manaus, onde operava há 13 anos produzindo disjuntores e outros dispositivos elétricos. A informação foi confirmada pelo presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, que lamenta o encerramento das atividades. Segundo ele, a crescente perda de competitividade na Zona Franca foi fator decisivo para a desativação da fábrica.

“O segmento em que ela atua, na parte dos disjuntores, não consegue competir com o similar importado. E por esse motivo a empresa encerrará as atividades e deixará de produzir já no meio deste ano, o que é lamentável, principalmente pelo fato de a empresa ser uma grande potência mundial. Acredito que faltou uma política de governo para preservar a atividade industrial, e isso trará reflexos na economia, como o desemprego e a falta arrecadação para o Polo Industrial de Manaus", diz.

A primeira filial da Siemens chegou a Manaus em 1983, onde produzia aparelhos eletroeletrônicos. Em janeiro de 1998, uma nova filial em Manaus passou a produzir telefones analógicos por ano. No  início dos anos 2000, a Siemens era uma das mais importantes fabricantes de telefones celulares do País. Em 2006, a Siemens VDO foi inaugurada para produzir autorrádios. Com o advento da Lei de Informática, a empresa retirou de Manaus a produção de celulares e de autorrádios, restando apenas a fabricação de disjuntores e equipamentos elétricos, produção que será encerrada neste ano.

Resposta da Siemens

Em nota, a Siemens confirmou que as linhas de produção na fábrica de Manaus serão “descontinuadas” devido a um “direcionamento estratégico” da empresa alemã de “oferecer produtos e soluções tecnológicas globais”, com aprimoramento do “portfólio de baixa tensão no Brasil”. Com relação aos cerca de 300 colaboradores da fábrica, a empresa garantiu que todos os direitos estabelecidos em lei serão respeitados e, também, está avaliando o aproveitamento de parte deles em posições de trabalho em outras localidades.

“A Siemens continua presente na Região Norte do Brasil, empregando mais de 250 colaboradores por meio da empresa Guascor. A companhia está em 20 localidades nos estados do Acre, Amazonas e Pará, onde atua na geração de energia distribuída com potência instalada de 190 MW, atendendo mais de 760 mil habitantes em comunidades remotas da região”, finalizou a empresa, em nota.

Publicidade
Publicidade