Publicidade
Cotidiano
Notícias

Silas Câmara confirma que vai trocar o PSD pelo PRB

Deputado federal explicou que ida para o Partido Republicano: “É uma movimentação que visa a buscar espaço” 03/03/2016 às 13:52
Show 1
Silas Câmara sobre o encontro com Omar Aziz: “Não houve discussão nenhuma. Foi uma conversa tranquila, fraterna”
ANTÔNIO PAULO BRASÍLÍA (SUCURSAL)

 O deputado federal Silas Câmara quebrou o silêncio e resolveu esclarecer os “disse me disse” sobre um provável rompimento com seu grupo político. Em entrevista exclusiva ao jornal A CRÍTICA, o parlamentar declarou que vai deixar o PSD, do senador Omar Aziz, e ingressar no PRB (Partido Republicano Brasileiro) até o dia 19 de março, data-limite para a troca de partido sem a perda de mandato.

Como presidente estadual da legenda, Silas está mirando as eleições de 2018, quando pretende se viabilizar como candidato a uma das duas vagas ao Senado. “Não digo que sim nem que não. Quem definirá os nomes será o nosso líder, o senador Omar Aziz (pré-candidato ao governo do Estado em 2018), mas me colocarei à disposição do grupo porque me sinto habilitado e capacitado para disputar uma dessas duas vagas ao Senado”, defendeu Silas Câmara.

Os comentários dos bastidores políticos dão conta de que a saída de Silas do PSD não agradou muito ao presidente estadual e vice-presidente nacional da legenda, senador Omar Aziz. Na conversa entre os dois, na semana passada, teria havido uma intensa discussão, um bate-boca na presença de pastores e líderes da Igreja Assembleia de Deus. O senador e o deputado negaram qualquer conflito.

“Quero dizer que essa minha movimentação partidária não me afasta do meu grupo político que tem como líderes o senador Omar Aziz e o governador José Melo. Minha ida para o PRB é uma movimentação estratégica provocada pelo benefício da janela aberta pela emenda à Constituição promulgada pelo Congresso Nacional. É uma movimentação que visa buscar espaço; que me faça crescer e trazer para meu grupo político um partido que historicamente nunca esteve ligado a nós”, justificou o parlamentar. Nas últimas eleições, o PRB esteve ao lado do senador licenciado e hoje ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB-AM).

Silas Câmara explicou que foi conversar com Omar Aziz para mostrar os benefícios que sua ida para o PRB vai trazer ao grupo político. “Não houve discussão nenhuma. Foi uma conversa tranquila, fraterna. O senador Omar Aziz apenas se preocupou sobre o comando da legenda e a autonomia que terei em relação à direção nacional do PRB”, contou o deputado.

Embora tenha reafirmado apoio à reeleição do prefeito Arthur Neto (PSDB), como novo presidente do PRB-AM, Silas Câmara disse que vai conversar com todos os candidatos à Prefeitura de Manaus.

Omar Aziz desmente rompimento

O presidente estadual e vice-presidente nacional do PSD (Partido Social Democrático), senador Omar Aziz, confirmou que foi procurado, na semana passada, pelo deputado Silas Câmara (PSD-AM) para tratar sobre a saída dele do partido e a da migração para o PRB. “Mas, não ficou nada decidido se ele vai sair ou não. Se tiver que sair, é uma opção dele. O deputado é muito bem-vindo no meu partido, onde teve uma votação expressiva nas últimas eleições (quase 168 mil votos, sendo o segundo deputado federal mais votado do Amazonas). É uma decisão dele como é de qualquer outro parlamentar querer ficar ou não no PDS”, disse ontem Omar Aziz. Segundo ele, não houve discussão nem bate-boca na conversa entre os dois. O senador amazonense também rechaçou as declarações do vereador Hiram Nicolau (PSD) que declarou estar havendo um rompimento entre Omar e Arthur Neto por conta de um apoio ao vice-governador Henrique Oliveira à Prefeitura de Manaus. “Reitero que tenho compromisso com a reeleição do Arthur, que me apoiou em 2014 assim como o meu candidato ao governador (José Melo). Só quem fala por mim sou eu mesmo”.

Em busca de mais eleitores-fiéis

Além de comandar o PRB no no Amazonas, Silas Câmara vai atrair os membros da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Ele detém quase a totalidade dos votos de eleitores-fiéis da Assembleia de Deus do Amazonas (Iadam), Quadrangular, Mundial e Madureira. Fica faltando apenas a Igreja Batista da Restauração.

Publicidade
Publicidade