Publicidade
Cotidiano
Notícias

Simuladores de direção ainda são raros no Amazonas

Prazo para que auto-escolas se adequem encerra em 31 de dezembro, mas 48 de 50 ainda não adquiriram o equipamento 03/09/2015 às 10:06
Show 1
Resolução no Contran tornou obrigatória a utilização do simulador de direção veicular nos centros de formação de condutores
luana carvalho ---

Desde o dia 20 de julho, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), do Ministério das Cidades, tornou obrigatória, novamente, a utilização do simulador de direção veicular nos centros de formação de condutores (CFCs). Embora o assunto esteja sendo discutido há pelo menos dois anos, de 50 CFCs do Amazonas, apenas dois possuem o equipamento. O prazo se estende até 31 de dezembro.

Segundo o órgão, o pedido da volta da obrigatoriedade partiu dos Departamentos de Trânsito (Detrans) de todo o País. A medida levanta discussões acerca dos possíveis custos que os equipamentos trariam para as auto escolas e, inclusive, para os alunos. O custo para o candidato emitir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria “B” pode aumentar, em média, 30%.

Entretanto, defensores da medida acreditam que um dos benefícios da tecnologia é a redução de custos no processo de capacitação dos condutores. A ProSimulador, uma das empresas já credenciadas para oferecer a solução, afirma que, além da redução de custos com o número de colisões, os simuladores permitem preparar os motoristas em situações críticas ou imprevisíveis que não poderiam ser praticadas nas ruas, como direção em rodovias, com neblina ou chuva, por exemplo.

‘Outra realidade’

Porém o diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, acredita que o Amazonas não deve ser pensado como os Estados do sul e sudeste por conta das peculiaridades e dificuldades locais. “Apenas duas empresas no Brasil tem esse simulador para vender. Temos auto escolas no Amazonas que já compraram há oito meses e até hoje os equipamentos não chegaram. Eles correram atrás e eu não posso culpá-los. É humanamente impossível cumprir até dezembro”.

O equipamento custa em torno de R$ 60 mil e o aluguel do software R$ 3 mil mensalmente. “Além de ser um equipamento caro, a demanda é grande e as empresas não estão dando conta”. A resolução exige que as aulas sejam enviadas para o Detran e Denatran via internet. “Minha grande preocupação é com as escolas que temos nos municípios, efetivamente eles não terão como manter o aparelho. Muitas auto escolas não vão poder se adequar e vão fechar”, teme.

Proposta de mais rigidez nas punições

O diretor do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, está participando do Encontro da Associação Nacional dos Detrans, em Brasília, e apresentou, na manhã de ontem, o projeto de lei do deputado Arthur Bisneto (PSDB-AM) que aumenta da pena imposta pela prática de crime culposo na direção quando o agente conduz veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa. “Estamos pedindo apoio dos Detrans de outros Estados para incluir como crime doloso as pessoas que matam no trânsito por dirigirem embriagados. Queremos conseguir aprová-los até o final de setembro, quando começa a Semana do Transito”.

Em números

2 é o número de Centros de Formação de Condutores (CFCs) que possuem o simulador de trânsito. Diretor do Detran-AM, Leonel Feitoza, afirmou que algumas auto escolas compraram os equipamentos há oito meses, mas que ainda não foram entregues.

Publicidade
Publicidade