Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sindicato dos Médicos do AM quer inspecionar a Maternidade Ana Braga após denúncias

Após grávida cair de maca no momento do parto, Simeam confirma denúncias feitas por profissionais de saúde. Sindicato quer verificar problemas in loco 03/06/2015 às 11:35
Show 1
Médicos e pacientes reclamam da estrutura da Maternidade Ana Braga
kelly melo ---

O Sindicato do Médicos do Amazonas (Simeam) confirmou que as denúncias feitas por médicos e enfermeiros da maternidade Ana Braga, na Zona Leste, são procedentes e promete realizar uma fiscalização na unidade para apurar os fatos.

Um exemplo das péssimas condições da maternidade foi visto na madrugada de segunda-feira, quando uma das macas quebrou no momento em que uma paciente estava em trabalho de parto. A paciente caiu no chão e a equipe médica ficou assustada, sem saber se a mulher e a criança haviam se machucado. De acordo com os denunciantes, a direção da maternidade teria sido informada que o equipamento precisava de reparos e não poderia ser mais utilizado. Mesmo assim, as providências não foram tomadas, segundo os denunciantes.

O presidente do Simeam, Mário Viana, afirmou que, em média, 10 denúncias são relatadas à Ouvidoria da entidade sindical a cada semana. As reclamações geralmente se referem à falta de estrutura e equipamentos, como aventais que têm que ser compartilhados entre os especialistas durante as cirurgias, por falta de roupas limpas. Eles também denunciam a superlotação da unidade, que consequentemente, reflete na ausência de leitos para atender a demanda, e a falta de segurança no local.


Na Ana Braga, Maca quebra durante parto

De acordo com Viana, o Simeam pretende realizar uma fiscalização na maternidade Ana Braga, mas aguarda o “sinal verde” do Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam) para que a inspeção seja feita. No entanto, o Igoam ainda não teria respondido a solicitação. “Temos recebido, frequentemente, denúncias dos médicos da Ana Braga e iremos fazer uma fiscalização não só nessa, mas em outras maternidades. As denúncias estão relacionadas a falta de condições de trabalho e, principalmente, superlotação”, reafirmou Viana.

A reportagem tentou contato com o presidente do instituto, César Dourado, mas ele não atendeu as ligações.

Hospital nega problema

Embora sejam graves as denúncias feitas contra a maternidade Ana Braga, a direção da unidade contestou a informação.

De acordo com nota da direção da maternidade Ana Braga, a situação dos equipamentos hospitalares são acompanhados rigorosamente, por meio de manutenção preventiva e correta. Ainda segundo a maternidade, só no mês de abril, 213 equipamentos foram inspecionados e apenas 14 deles necessitaram de manutenção corretiva em função de problemas.

Susam vai instaurar sindicância

Em nota, secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, informou que uma comissão especial foi instalada para avaliar o ocorrido na Maternidade Ana Braga. O secretário reiterou que a maternidade tem plena condição de funcionamento, que seus equipamentos são revisados preventiva e periodicamente e que, mesmo com essas revisões, incidentes não estão absolutamente descartados de ocorrer.

Alecrim afirmou também que uma equipe, coordenada por um engenheiro clínico, está trabalhando na elaboração de um laudo pericial para esclarecer as causas do incidente com a mesa cirúrgica onde ocorrem partos cesareanos.

O secretário ressalta a importância deste laudo, tendo em vista que o mobiliário havia passado por recente revisão, que não detectou qualquer avaria que exigisse reparo ou explicasse o que ocorreu. Hoje, uma nova mesa cirúrgica será entregue na unidade para substituir a que apresentou problema.

A direção a maternidade destacou que, ontem, recebeu uma queixa formal da família da paciente envolvida no incidente, a respeito do vazamento das imagens, por profissionais integrantes da equipes que estavam lhe prestando assistência. A queixa foi encaminhada à Susam para que adotasse as providências cabíveis.

Publicidade
Publicidade