Domingo, 16 de Maio de 2021
VISITA PRESIDENCIAL

Sindipetro culpa Bolsonaro por prejuízos da população com combustíveis

Segundo o coordenador regional do sindicato, visita do presidente é boa oportunidade para questionar políticas de preço que fazem amazonense pagar caro pela gasolina e pela botija de gás



49695919602_4787703f3e_o_94CB378F-986E-4BD9-87DA-4B5070D05B0A.jpg Foto: Divulgação
22/04/2021 às 14:47

O coordenador regional do Sindicato dos Petroleiros do Amazonas (SINDIPETRO), Marcus Ribeiro, afirmou nesta quinta-feira, que a visita do presidente da república, Jair Bolsonaro, amanhã (23) a Manaus é uma boa oportunidade para questionar o presidente sobre a política de preços dos combustíveis que fazem os amazonenses pagarem quase R$ 6 reais, em Manaus, pelo litro da gasolina e mais de R$ 100 pela botija de gás.

Apesar de não realizarem movimentos no dia da visita, os membros do sindicato pretendem aproveitar a oportunidade para destacar para a sociedade sobre a responsabilidade do Governo Federal no sistemático aumento dos combustíveis.

“Infelizmente, o Presidente da República, Jair Bolsonaro está legitimando os impactos que vão acontecer na sociedade com a privatização das refinarias da Petrobrás. Ele está atrelado ao mercado internacional e aos acionistas da Petrobrás”, salientou o Coordenador Geral do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Amazonas (SINDIPETRO/AM), Marcus Ribeiro.

Marcus informa que o SINDIPETRO já está tomando algumas atitudes, nos âmbitos jurídico e da mobilização.

“Estamos atuando no sentido de alertar a sociedade sobre os impactos econômicos e sociais sobre a venda da nossa refinaria. Isso não vai ser sinônimo de geração de emprego e nem sinônimo de redução de preço de combustível. No campo jurídico estamos atuando para deixar claro que impacto que vai se dar não vai gerar concorrência com outro mercado. Isso é uma contradição porque é isso que está sendo colocado para justificar a venda. O que vai acontecer é o monopólio privado do setor de petróleo na nossa região e vai impactar negativamente a nossa sociedade. Vai ser o monopólio privado que irá ditar as regras dos preços dos combustíveis. Somente a Petrobras tem condições de colocar o preço acessível a nossa região. O mercado privado que saber apenas do lucro”, alertou o coordenador.

Marcus acusa que o Presidente da República está dando “carta branca” para que a gestão da Petrobrás prejudique a sociedade. “ Ele sabe que isso vai acontecer e esse governo está dando carta branca para que o Ministro e a Petrobrás façam isso. Bolsonaro vai cumprir essa agenda neoliberal. Estamos tomando medidas para barrar essa legitimação do processo de entreguismo. Ele sabe muito bem que para poder barra o preço do combustível e do gás de cozinha é preciso barrar a venda das refinarias”, disse Marcus.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.