Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sines do AM oferecem empregos e o dobro de vagas sobra

Das mais de 13 mil ofertas de trabalho oferecidos por meio dos Sines AM e Manaus, apenas 4.600 foram preenchidas 16/07/2013 às 10:50
Show 1
O número de vagas no primeiro semestre também aumentou no acumulado do ano
ACRITICA.COM ---

No primeiro semestre do ano, mais de 4.600 trabalhadores foram colocados no mercado de trabalho através do Sistema Nacional de Emprego (Sine) estadual e municipal. Nesse período, juntos, o Sine-AM e o Sine Manaus ofereceram 13.529 vagas para admissão imediata. Falta de qualificação dos candidatos continua sendo um problema.

“Para o segundo semestre, por conta tradicional aquecimento de setores como comércio e serviço, aumentará o número de vagas”, disse Arilson Vieira, coordenador do Sine-Amazonas.

Por meio de seus postos de atendimento, o Sine-AM inseriu no mercado 3.109 trabalhadores no primeiro semestre do ano. Esse número é 44% maior comparado ao mesmo período do ano passado. No último mês, foram 516 trabalhadores colocados.

Já o Sine Manaus, por meio de seus postos de atendimento, recolocou no mercado 1.536 trabalhadores, o que representa 148% a mais que no mesmo período de 2012. Sendo somente em junho deste ano, 446.

Vagas

O número de vagas no primeiro semestre também aumentou no acumulado do ano. O Sine-AM ofertou 7.347 oportunidades de trabalho, o que representa 32% a mais que em 2012. O Sine-Manaus, ao contrário, apresentou queda de 42% no número de vagas captadas, foram 6.182 contra 8.839, no primeiro semestre do ano passado. 

O Sine Manaus tem como meta até o final do ano colocar no mercado 2.479 trabalhadores. Para isso, o órgão passou a fazer uma triagem dos candidatos antes de encaminhá-los às empresas, segundo o gerente de mão de obra órgão, Sebastião Deive. “Aqui mesmo selecionamos e já damos as orientações necessárias para ele conquistar a vaga e isso tem refletido no crescimento de colocações”, revelou.

Fatores como má postura, erros de português, falta de conhecimento em matemática e informática básica são o que dificultam o preenchimento da vaga. “O candidato tem qualificação, mas como faz muitos anos que ele não estudou, muitas vezes não recorda como se faz uma regra de três, por exemplo, e isso acaba eliminando-o”, comentou Arilson Vieira.

Já o diretor do Sine Manaus, Adonay Sabá, afirma que o mercado é excludente e o profissional que tiver um pouco mais de idade acaba realmente ficando de fora. “Infelizmente tem empresa que não percebe um trabalhador com um pouco mais de experiência pode produzir muito melhor por já conhecer o processo”, avalia.

Outro grupo que tem sentido dificuldade são a de profissionais que possuem o curso superior e, no entanto, não tem a experiência necessária. “Os que mais sentem isso são os formados em administração, serviço social, nutrição, psicologia e contabilidade”, informou Sabá.

Publicidade
Publicidade