Publicidade
Cotidiano
Notícias

Softwares ajudam empresas a selecionar profissionais

Grandes empresas lançam mão de softwares para filtrar com maior precisão o perfil dos profissionais que pretendem contratar. Novidade ainda não chegou no Amazonas 21/07/2013 às 11:16
Show 1
Paula Pedrosa já usou e indicou o Big Data, a qual recorreram grandes grupos
Cinthia Guimarães Manaus

Foi-se o tempo em que o velho currículo impresso entregue na porta da empresa era a principal arma de quem procurava colocação no mercado de trabalho. Hoje, as grandes empresas estão usando novas estratégias consideradas mais eficientes e práticas para selecionar pessoal, entre elas softwares que ajudam a filtrar o perfil de profissionais mais adequados ao cargo, como o Big Data.

O Linked In, rede social voltada para contatos profissionais, virou a principal fonte de triagem para o sistema Big Data, um termo em inglês usado para designar softwares capazes de processar de uma só vez o perfil de milhões de profissionais existentes na Internet. Grandes grupos empresariais onde as vagas no mercado são muito disputadas são quem mais lançam mão dessa ferramenta.

Em Manaus, essa moda ainda não chegou, mas algumas consultorias de recursos humanos já utilizam sistemas de banco de dados próprios em busca de talentos inovadores, principalmente para cargos mais estratégicos como gerentes, supervisores, diretores.

“Já utilizei e indico o Big Data, porém, aqui em Manaus não é utilizado ainda e pouco conhecido. O próprio Linked In aqui em Manaus é mais utilizado por profissionais de cargos estratégicos. Ainda estamos em atraso no que diz respeito a tecnologia big data”, disse a caça-talentos (headhunter) da Krüt Consultoria, Paula Pedrosa.

A prova de que o Linked In virou vitrine é que a rede social já ultrapassou a marca de 10 milhões de usuários no Brasil, se tornando o terceiro país com maior número de pessoas cadastradas, atrás dos Estados Unidos e Inglaterra. Em seu perfil, o profissional expõe para a sua rede de contatos, informações referentes à formação, experiências profissionais, cursos complementares, habilidades em línguas estrangeiras, premiações, etc.

“É um site de relacionamentos voltado para o mundo corporativo. Seu perfil é seu currículo e é um local riquíssimo em profissionais e networking. O bom é que você acha a pessoa, e já vê as empresas por onde ela passou, quais cargos atuou e o tempo em que passou em cada empresa, bem como sua formação acadêmica e idiomas. Outros métodos são os sites de buscas de currículos e os portais locais”, ressalta Paula Pedrosa.

Na Strategic Advanced, que trabalha com seleção mão-de-obra em Manaus, as vagas são lançadas no site (www.strategicadvanced.com.br) à disposição das mais de 120 empresas que contratam esse serviço. “As seleções dependem de cada cargo e do que cliente solicita, seja entrevistas comportamentais, entrevista por competência, dinâmicas de grupo, avaliações psicológicas. O processo inclui todas essas etapas e depende do que o cargo exige para mensurar o nível de conhecimento que a pessoa diz ter”, informou a coordenadora de recrutamento e seleção, Keyla Crisóstomo.

De olho na concorrência
A forma mais eficaz e segura para as empresas que busca, talentos é garimpá-los na concorrência, explica a headhunter da Krut Consult, Paula Pedrosa. “Geralmente "roubamos" esses profissionais da concorrência ou de empresas similares, para que a assertividade seja maior e para que a mudança seja mais confortável, para ambos os lados”.

Recrutado pela Halls para atuar em Tabatinga, no AM

O estudante de Medicina de Volta Redonda (RJ) André Luis Franco Cotia, 21 anos, passou por um processo seletivo inusitado, que foi feito através das redes sociais. Ele foi recrutado entre 3.796 de pessoas para fazer um estágio como agente social humanitário pela ONG Avesol, em Tabatinga (AM), através da agência de empregos Halls Contrata, da marca de balas do grupo Mondelez Brasil.

A empresa criou um concurso cultural através do perfil específico no Facebook para selecionar os jovens de todo o Brasil dispostos a passar por uma experiência temporária como de VJ no programa Top 10 da MTV, Assistente social em Vaga Humanitária, Degustador de cerveja, Cliente Oculto e Assistente de Estilista.

Os interessados tiveram que enviar um vídeo explicando o motivo pelo qual gostariam de ser eleitos para uma “experiência incrível”. Os melhores vídeos foram encaminhados para uma entrevista com o setor de recursos Humanos da empresa, feita via Skype.

“Nunca tinha visto esse tipo de seleção, soube pela internet. Achei bem interessante, foi um processo bem legal”, disse o jovem que cursa o 8º período de Medicina, que cursa o 8º período de Medicina na UNIFOA, no Rio de Janeiro.

Ozeneide Casanov - Presidente da ABRH-AM responde a três perguntas

Já passamos da fase de entregar um currículo impresso na porta das empresas?
Sim, a maioria das empresas não recebe mais CVs físicos, pois ocupam muito espaço e dão mais trabalho para triar. Ao invés disso a captação tem sido quase que na sua totalidade, virtual. A maioria das empresas recebe via e-mail, mas já existem muitas que disponibilizam um formulário virtual no próprio site no qual são inseridos os dados do CV, agilizando o processo de triagem.

Como encontrar novos talentos profissionais?
Os profissionais são buscados no mercado de trabalho, que podem estar em outra empresa, assim como em outras cidades do Brasil, Manaus, tem suas dificuldades para atender a demanda de vagas nos vários segmentos. Isto é, não tem muitos profissionais excepcionais no mercado.

Qual o papel das redes sociais nos processo de seleção?
As redes sociais hoje são grande fonte de captação de profissionais. O Facebook tem sido usado para diferentes áreas mas atinge, sobretudo, profissionais mais jovens (até 35 anos). O Linked IN atinge profissionais mais experientes e mais voltados para áreas de tecnologia e gestão.

 

Publicidade
Publicidade