Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019
Notícias

SSP intimará Felix Valois sobre envolvimento de vereadores com cobranças de propina

O delegado-geral Josué Rocha comandará o inquérito policial que apura a denúncia  veiculada em um artigo do advogado e presidente do Conselho de Gestão Estratégica da PMM



1.jpg Vereadores Júnior Ribeiro, Mário Frota e professora Jaqueline se reuniram como o subsecretário da SSP, Francisco Sobrinho
15/11/2013 às 09:07

O advogado e presidente do Conselho de Gestão Estratégica da Prefeitura de Manaus, Félix Valois, será intimado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) para prestar informações sobre a suposta extorsão praticada por vereadores contra um comerciante. A decisão foi comunicada ontem pelo presidente da Comissão Especial de Sindicância da Câmara Municipal de Manaus, Mário Frota (PSDB), após reunião a portas fechadas com o secretário adjunto da SSP, Francisco Sobrinho.

O delegado-geral da Polícia Civil, Josué Rocha, foi designado para comandar as investigações. A  partir de segunda-feira, ele  se reunirá com a Comissão de Sindicância e informará como serão as investigações.



Após a reunião, o presidente da Comissão  de Sndicância, Mário Frota, disse que conversou com Valois. O advogado ainda  mantém a posição de não entrar em mais detalhes sobre o caso. De acordo com Mário Frota, o advogado tem esse direito,  mas isso está atrasando as investigações, pois ele não revela o nome de quem fez a denúncia.

A comissão já pediu para que fosse acionado o serviço de inteligência da SSP-AM. Em breve, de acordo com Frota, o presidente do Conselho de Gestão Estratégica da Prefeitura de Manaus deve ser intimado pela Secretaria de Segurança Pública. A partir daí, será possível descobrir quem é o proprietário da loja de materiais de construção que também deve  ser ouvido, apesar de já ter comunicado a Valois que não tem interesse em depor, por medo de represálias.

“A Câmara Municipal já fez o seu papel que foi abrir uma sindicância e agora cabe a Polícia Civil que investigue e descubra quem são os possíveis parlamentares que receberam a propina. A Polícia Civil tem poder de obrigá-lo a depor porque ele foi testemunha”, declarou o presidente da comissão.

Além do vereador Mário Frota, outros três membros da comissão estavam presentes na audiência, que começou por às 15h, Professora Jacqueline (PPS), Júnior Ribeiro (PTN) e Luiz Mitoso (PSD), que chegou 30 min atrasado na sede da Secretaria de Segurança.

A sindicância para investigar a denúncia foi aberta no início da semana, na Câmara Municipal de Manaus, após o presidente da Casa, Bosco Saraiva, ler  artigo assinado por Félix Valois.

A denúncia

No artigo, Valois informa que “quatro homens devidamente engravatados” se apresentaram a um comerciante como vereadores de Manaus e pediram uma “contribuição” para que o ponto do Plano Diretor que garante a construção de prédios de até 25 andares fosse aprovado sem percalços.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.