Publicidade
Cotidiano
IMPACTO AMBIENTAL

Startup terceiriza serviço de gestão de resíduos para empresas do País

Eu Reciclo é uma plataforma de compensação ambiental que desenvolve a função, a fim de tornar mais fácil a vida das empresas que não tem esse segmento organizado 05/03/2019 às 17:34 - Atualizado em 08/03/2019 às 08:28
Show capturar 4261f4b9 e2e6 4ec2 a806 7b40b429aef9
Arte: Heli
Rebeca Beatriz Manaus (AM)

O que acontece com o lixo gerado na produção em grandes fábricas? O destino final desses resíduos tem sido uma preocupação recorrente entre os empresários, que buscam alternativas para reduzir o impacto ambiental.

O descarte e reaproveitamento desses materiais é imprescindível, mas nem sempre as companhias dispõem dos recursos necessários para finalizar o processo.

Uma saída é contratar a terceirização do serviço. A startup @eureciclo é uma plataforma de compensação ambiental que desenvolve essa função, a fim de tornar mais fácil a vida das empresas que não tem esse segmento organizado.

A gerente de marketing do grupo, Gabriela Reis, explica como o processo funciona.

“Se uma empresa gerar dez toneladas de plástico, dez toneladas de papel em um ano, essa empresa vai comprar notas fiscais referentes a dez toneladas de plástico, dez toneladas de papel efetivamente reciclado. A empresa consolida sua marca como um produto sustentável, gerando empregos para ascoopertivas”, diz.

Mais de 750 empresas possuem o selo no Brasil, destinando recursos para o desenvolvimento e operação das cooperativas de reciclagem.

Há três planos de compensação ambiental pré-definidos para diferentes portes de empresa: Peso Pena, direcionado para empresas que tenham vendido até 20 mil unidades de embalagens no ano anterior, com valor a partir de R$ 29,90/mês. Plano Peso Leve, para empresas que venderam até 42 mil unidades de embalagens, a partir de R$ 59,90/mês. E Peso Médio, destinado a empresas que venderam até 90 mil embalagens no ano anterior, com mensalidade a partir de R$119,90.

Economia consciente

Mais da metade dos brasileiros estão preocupados em construir um País mais sustentável. De acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 59% da população brasileira analisa, antes de comprar um produto, se as práticas que as fabricantes adotam são prejudiciais ao meio ambiente. As produtoras precisam se adaptar às novas formas de consumo.

Para a especialista em Marketing, Edcleia Silva, é fundamental que as empresas se adequem a ações ambientais.

“As empresas, que um dia foram grandes vilãs na emissão de poluentes, hoje buscam por uma retratação com o planeta e com a sociedade. A preocupação com a consciência ambiental mostra que a empresa está ao lado dos seus clientes. Isso é o marketing verde”, destaca.

Escala mundial

Em julho de 2018, a SDSN (Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da ONU) divulgou um ranking dos países mais sustentáveis do mundo. O Brasil aparece apenas na 56º posição (entre 156 países).

Os dados mostram que o Brasil está muito atrás na maratona pelo desenvolvimento sustentável. Embora já existam ações que visam mudar essa realidade, ainda há muito a ser feito antes de alcançar a linha de chegada. No entanto, as práticas já existentes ilustram um bom momento. E a tendência é que cada vez mais, cresçam atividades em favor de um País mais consciente, conforme destaca o especialista em economia criativa, Beto Contartesi.

Entre as ações sustentáveis, podem se destacar coleta seletiva de lixo doméstico ou energia renovável através dos resíduos lançados na natureza.

“Ações sustentáveis são uma prática em todo o planeta. É comportamental para as novas gerações um sistema voltado para resultados sociais”, afirmou o especialista.

Publicidade
Publicidade