Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sudam investirá em projetos para aumentar incentivos em vários segmentos da indústria

O superintendente da autarquia promete que bons projetos para 2015, entre eles, produção de etanol com batata-doce e aumento na produção de minérios 30/12/2014 às 19:29
Show 1
Durante coletiva realizada na manhã desta terça-feira (30), o superintendente da Sudam anunciou projetos e incentivos para 2015
Camila Leonel Manaus (AM)

Além dos incentivos à indústria do Polo Industrial de Manaus e do setor naval, outros setores da economia são alvos de projetos da Sudam. Segundo o superintendente Djalma Mello, “o ano de 2015 vai ser um ano de aperto, mas nossa equipe tem coisas boas para esse ano”. Entre os projetos estão o incentivo à indústria de alimentos, minero-metalúrgica e à bioindústria. Um dos projetos que estão em fase de conclusão de estudos é a produção de etanol na Amazônia utilizando a batata-doce como matéria-prima.

A Amazônia não produz etanol devido à proibição do incentivo de cultivo de cana-de-açúcar na região. O etanol utilizado hoje na região vem de outras regiões do país como nordeste e sudeste, por isso a batata-doce, tornou-se uma alternativa de matéria-prima. “A Sudam se dedicou, se debruçou , estudou e descobriu uma forma da gente fazer etanol aqui. O nosso etanol será feito de batata doce e é um etanol tão bom quanto o da cana. Estamos trabalhando junto com a Universidade federal de Tocantins, que há 20 anos estuda esse tipo de batata. Não é uma batata rentável em feira porque ela é enorme, branca toda ‘caraquenta’, mas é espetacular pela alta produtividade para a fabricação de etanol”, disse Mello. Cerca de R$1,5 milhão foi investido em pesquisas que está sendo finalizada e será apresentada entre fevereiro e março do ano que vem. Além da batata-doce, a Sudam vem incentivando a utilização do óleo de palma como biodiesel.

Outro setor que vai receber mais incentivos em 2015 é o de alimentos, que tem como objetivo industrializar o que é produzido na região. “Vamos aproveitar o que nós temos aqui desde o peixe, da piscicultura e da pesca mesmo até as nossas frutas, nossa agricultura e tudo mais o que nós temos para verticalizar esses recursos naturais que nós temos aqui e transformá-los em bens industriais”.

A indústria minero metalúrgica também está na mira de incentivos da autarquia. O Amazonas, hoje, produz a silvinita, utilizado para a produção de potássio, que é empregado na agricultura para fertilizantes e adubos. Outro minério utilizado na agricultura é o fosfato. Pensando nisso, o objetivo dos incentivos para este setor é verticalizar a produção para que o Amazonas produza em larga escala e abasteça o mercado nacional e até o internacional.



Publicidade
Publicidade