Publicidade
Cotidiano
Notícias

Susam diz que maternidade está em plenas condições de funcionar e internautas criticam serviço

Caso de paciente em trabalho de parto que caiu no chão quando uma mesa quebrou chocou leitores do portal acritica.com. A Secretaria de Estado de Saúde afirmou, em nota, que os familiares da mulher fizeram uma queixa contra os funcionários por conta da divulgação das imagens do acidente 02/06/2015 às 17:58
Show 1
Médicos e pacientes reclamam da estrutura da Maternidade Ana Braga, na Zona Leste
acritica.com Manaus (AM)

Na última segunda-feira (1º), o portal acritica.com mostrou o caso de uma paciente, em trabalho de parto, que caiu no chão quando uma das mesas de parto, onde são realizadas as cirurgias, quebrou no exato momento em que uma mulher dava à luz a um menino, na maternidade Ana Braga, localizada na Alameda Cosme Ferreira, Zona Leste de Manaus.

Pacientes e funcionários disseram que a unidade está funcionando em péssimas condições de estrutura e que a queda da mulher foi apenas um exemplo do que ocorre no local. Médicos e enfermeiros contaram que a situação tem sido "abafada" pela direção na tentativa de evitar que o descaso se torne público. O caso ganhou repercussão na Internet e gerou indignação dos leitores.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que instalou uma comissão especial para avaliar o ocorrido na maternidade para "identificar se há alguma procedência ou veracidade em relação às informações que estão sendo atribuídas a profissionais médicos que atuam na unidade". O secretário Wilson Alecrim afirmou que a maternidade "tem plena condição de funcionamento, que seus equipamentos são revisados preventiva e periodicamente e que, mesmo com essas revisões, incidentes não estão absolutamente descartados de ocorrer".

A Susam também afirmou que a maternidade "recebeu uma queixa formal da família da paciente envolvida no incidente, a respeito do vazamento das imagens, por profissionais integrantes da equipes que estavam lhe prestando assistência".

Repercussão

Na Internet, diversos usuários repercutiram o caso. No Facebook, a matéria alcançou centenas de comentários. No site do portal acritica.com, a usuária Giuliana Coelho conta o que passou na maternidade. “Eu estava internada nessa maternidade desde sexta feira, os médicos até tentam fazer o possível pelas pacientes, mas a unidade está em condições ruins eu tive que esperar dois dias pra fazer uma curetagem (procedimento). Internei na sexta pela manhã e só fui pro leito no domingo após o meio dia. Um absurdo, além de ter esperado dois dias pra fazer a cureta, mas graças a Deus já me encontro em casa”, afirma.

No Facebook, diversos usuários reclamaram da unidade de saúde e relatram experiências no local. "Essa maternidade é uma porcaria eu já passeiam mal lá quase perdi o meu beba lá", publicou Silvana Hadassa.

"Há 1 ano tive meu bebê nesta maternidade...fui bem tratada mas nao tem vaga... depois que tive fiquei na maca no corredor e ainda emprestaram a minha maca pra usarem e me colocaram na sala de parto por um tempo. Mas fora isso peguei médicos e enfermeiras super atenciosos...", escreveu Mirian Tavares.

"Tive minha bebê lá há 6 meses. O obstetra que fez meu parto foi um excelente profissional. Fiz uma cesariana, super rápido e me tratou super bem. Cheguei na maternidade e logo fui internada. Mas as coisas mudaram quando no pós-parto. Fui pra enfermeira, estavam sem lençol e ar condicionado. E por falta de ar condicionado ficamos uma noite no calor. Minha bebê pegou uma assadura grave. As enfermeiras viviam levando remédios que eu não podia tomar. E por falta de alguns medicamentos tive que comprar", relatou Katlhen Sales. 

“Tive meu bebê há exatamente 18 dias, nesta mesma maternidade. O que eu tenho a dizer é que fomos muito bem tratados, desde o momento da triagem até a alta médica, as enfermeiras que auxiliaram nos procedimentos, só tenho a agradecer, os médicos e anestesista que fizeram meu parto, foram super eficientes. Sobre o sistema de refrigeração é verdade, estava deixando a desejar. Mas toda a equipe medica meus parabéns, fomos muito bem tratados”, escreveu Luciana Cavalcante.

A usuária Carollini Costa afirmou que trabalha com a irmã da vítima e que acompanhou todo o desenrolar da história. “Na verdade não foi bem por causa da queda que a bebê está na UTI. Foi porque o médico demorou pra fazer a cesárea esperando que ela tivesse normal e o bebê acabou engolindo mecônio (fezes), e foi pro pulmão. Mas a queda poderia ter matado mãe e bebê pois foi bem na hora da retirada da criança. Triste, a mãe passa bem, não teve nenhum trauma”, escreveu.

Confira a nota da Susam na íntegra:

“O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, instalou uma comissão especial para avaliar o ocorrido na Maternidade Ana Braga e identificar se há alguma procedência ou veracidade em relação às informações que estão sendo atribuídas a profissionais médicos que atuam na unidade. O secretário reitera que a Maternidade Ana Braga tem plena condição de funcionamento, que seus equipamentos são revisados preventiva e periodicamente e que, mesmo com essas revisões, incidentes não estão absolutamente descartados de ocorrer.

Ele informou que já há uma equipe, coordenada por um engenheiro clínico, trabalhando na elaboração de um laudo pericial para esclarecer as causas do incidente com a mesa cirúrgica onde ocorrem partos cesareanos. Alecrim ressalta a importância deste laudo, tendo em vista que o mobiliário havia passado por recente revisão preventiva, que não detectou qualquer avaria que exigisse reparo ou explicasse o que ocorreu. Nesta quarta-feira uma nova mesa cirúrgica estará sendo entregue na unidade para substituir a que apresentou problema.

A direção a maternidade destaca que, hoje (2), recebeu uma queixa formal da família da paciente envolvida no incidente, a respeito do vazamento das imagens, por profissionais integrantes da equipes que estavam lhe prestando assistência. A queixa foi encaminhada à Secretaria Estadual de Saúde (Susam) para que adotasse as providências cabíveis”.

Publicidade
Publicidade