Publicidade
Cotidiano
Notícias

Susam e Semsa suspendem a campanha contra o sarampo após casos de reação à vacina

A decisão não afeta o andamento da campanha de vacinação contra a poliomielite, que prossegue normalmente 18/11/2014 às 18:07
Show 1
A decisão foi tomada após o registro de casos de eventos adversos acima do esperado em crianças que receberam essa vacina na capital
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) divulgaram na manhã desta terça-feira (18) uma nota técnica conjunta em que recomendam a suspensão, no Amazonas, do uso da vacina "Tríplice Viral", produzida pelo Laboratório Serum Institute of Indian Ltda.

Os lotes da vacina foram enviados ao Amazonas pelo Ministério da Saúde para realização da campanha de imunização contra o sarampo, iniciada no último dia 8 deste mês, com previsão de se estender até o próximo dia 28. A recomendação não afeta o andamento da campanha de vacinação contra a poliomielite, que prossegue normalmente.

De acordo com a nota técnica, a decisão foi tomada após o registro de casos de eventos adversos acima do esperado em crianças que receberam essa vacina na capital. Investigação caso a caso, realizada pelo Centro de Referências de Imunobiológicos Especiais (CRIE) do Estado, verificou que os registros estão relacionados à vacina produzida pelo Laboratório Serum.

“O Amazonas reconhece a importância da campanha de seguimento do sarampo, entretanto, tem a responsabilidade de minimizar o risco de exposição (das crianças) a eventos adversos até que esta relação (entre a vacina do Serum e os casos de reação) seja esclarecida”, destaca a nota conjunta. Com a decisão, fica interrompida a campanha de imunização contra o sarampo que pretende alcançar, neste ano, no Estado, 344,1 mil crianças.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, os casos de reação adversa foram todos imediatamente notificados ao Ministério da Saúde. “Enquanto aguardamos a manifestação do órgão, adotamos a medida de interrupção do uso dos lotes, de forma preventiva”, disse o secretário. Ele destacou que a campanha de vacinação contra a poliomielite – que ocorre paralelamente – continua com sua programação normal, até o dia 28 deste mês, com a meta de imunizar 290,6 mil crianças. Da mesma forma, as demais vacinas disponibilizadas na rotina das unidades de saúde às crianças não sofrerão nenhuma interferência.

O diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde, Bernardino Albuquerque, disse que as crianças que apresentaram reações adversas à vacina do sarampo estão sendo acompanhadas e passam bem. Nenhuma está internada. “Em todos os casos houve uma intervenção imediata de assistência, que evitaram maiores complicações”, frisou.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, informou que todos os Distritos Sanitários de Saúde (Disas) da capital já foram comunicados da suspensão da campanha de vacinação contra o sarampo. Em relação ao interior do Estado, a FVS está enviando a nota técnica a todas as secretarias municipais de saúde.


Publicidade
Publicidade