Publicidade
Cotidiano
Notícias

Suspeitos de ajudar autor de atentado em Copenhague são formalmente acusados

Segundo a polícia, os dois homens, detidos no domingo (15) de manhã, são suspeitos de ter 'ajudado com palavras e com atos' o autor dos ataques 16/02/2015 às 17:13
Show 1
Abalados com os ataques deste fim de semana, cidadãos de Copenhague deixaram durante todo o dia flores e velas na porta dos locais dos atentados
Agência Brasil ---

A polícia dinamarquesa confirmou nesta segunda-feira (16) que os dois homens detidos por suspeita de terem ajudado o autor dos ataques do fim de semana em Copenhague foram formalmente acusados de cumplicidade, noticiou a Agência France Presse. “Os dois homens foram formalmente acusados de cumplicidade”, disse à agência um porta-voz da polícia, Steen Hansen.

Segundo informou a polícia anteriormente, os dois homens, detidos no domingo (15) de manhã, são suspeitos de ter “ajudado com palavras e com atos” o autor dos ataques contra um centro cultural em Krudttonden e uma sinagoga em Krystalgade, em que duas pessoas foram mortas e cinco ficaram feridas.

Identidade

A polícia não divulgou as identidades nem do suspeito dos ataques nem dos dois acusados de serem cúmplices. Segundo a imprensa dinamarquesa, o autor dos ataques é Omar El Hussein.

O tabloide dinamarquês Ekstra-Bladet informou que o jovem, do qual a polícia diz ter cadastro por “infrações à legislação sobre armas e violência”, tinha saído da prisão há duas semanas depois de ter cumprido pena por ofensas corporais graves.

“O possível autor dos fatos está identificado. É um jovem de 22 anos, nascido na Dinamarca, conhecido da polícia por vários delitos, entre os quais infrações à legislação sobre armas e violência e também pelas suas ligações com grupos de delinquentes”, informou a polícia de Copenhague em comunicado.

O jovem foi morto por agentes da polícia na madrugada desse domingo (15), depois de ter disparado contra eles. Os investigadores não deram informações sobre uma eventual influência da ideologia islâmica.

Os trabalhos, segundo eles, estão voltados para o itinerário do jovem, antes, durante e depois dos tiroteios, o primeiro ocorrido na tarde de sábado (14), em um centro cultural onde era realizado um debate sobre islamismo e liberdade de expressão.

O segundo foi na noite de domingo, em frente à grande sinagoga de Copenhague. No total, os atentados deixaram dois civis mortos e cinco policiais feridos.

Os serviços de informação indicaram que trabalham com “a hipótese de o suspeito ter se inspirado nos fatos ocorridos no [semanário satírico francês] Charlie Hebdo, em Paris”.

Publicidade
Publicidade