Publicidade
Cotidiano
APÓS PANE NO SISTEMA

TCE-AM recupera processos eletrônicos e instaura procedimento administrativo

Processos foram afetados por pane que excluiu dados nos sistemas e-Contas e Spede. A recuperação total deve ser finalizada até a próxima semana 03/10/2017 às 17:40 - Atualizado em 03/10/2017 às 17:47
Show xzcv
(Foto: Divulgação)
acritica.com Manaus (AM)

Os processos eletrônicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) afetados pela pane nos sistemas e-Contas e Spede (Sistema de Processos e Documentos Eletrônicos) — a qual excluiu dados dos dois softwares — devem ser 100% recuperados até a próxima semana, segundo garantiu, na manhã desta terça-feira (3), o conselheiro-presidente do TCE-AM, Ari Moutinho Júnior , em entrevista coletiva. Ocorrido há 38 dias, devido a execução indevida de um script (sequência de comados), o incidente afetou o servidor de dados PostgreSQL, atingindo 16,5 mil processos (80% de processos de aposentadoria), dos quais 62% já foram plenamente recuperados e os outros 38% estão em fase de recuperação.

Acompanhado do diretor-presidente da Empresa de Processamento de Dados Amazonas S/A (Prodam), Márcio Lira;  do procurador-geral do Ministério Público junto ao TCE, Carlos Alberto de Almeida, e da nova diretora de Tecnologia da Informação (Ditin) do TCE, Sheila Nóbrega, o conselheiro-presidente anunciou que os dois servidores concursados identificados como os responsáveis pela pane (direta e indiretamente) responderão administrativamente na Corregedoria do TCE pelo problema técnico causado e terão de ressarcir aos cofres públicos os R$ 33 mil gastos na contratação das empresas especializadas Bot Recuperação de Dados, 4 Linux, CBL, que atuam na recuperação dos dados, em parceria com a Prodam e o Ditin.

Ao descartar a hipótese de sabotagem ou invasão de hacker, o conselheiro Air Moutinho Júnior explicou que o problema ocorreu por “excesso de confiança e falta de responsabilidade” por parte dos dois servidores. Um que mexia diretamente com o PostgreSQL, que alimentava o Spede e o e-Contas, e outro por saber das limitações do backup e da necessidade de ampliação do mesmo e não tomar as providências necessárias, como gestor. “O TCE tem backup, tanto que os dados estão sendo recuperados paulatinamente, mas o incidente havia tornado inacessível os arquivos, bloqueando o acesso”, comentou o conselheiro-presidente.

O conselheiro Ari Moutinho Júnior justificou que o TCE ainda não havia se manifestado a respeito do assunto por orientação da Polícia Civil, que também acompanha o caso, e para não ser levianos, uma vez que empresas especializadas estavam atuando no caso. Na próxima semana, o e-Contas e o Spede voltam às atividades normalmente. Os gestores públicos que ficaram sem comunicação através dos sistemas terão os prazos processuais dilatados.

Servidores afastados

Segundo o conselheiro-presidente Ari Moutinho Júnior, foram as três empresas, a Prodam e a polícia que elucidaram o caso, ao identificar o IP da máquina do servidor, que era cedido pela Prodam e já foi exonerado das atividades na corte de Contas. O então diretor de Tecnologia da Informação também foi substituído. “Os servidores serão encaminhados à Corregedoria e serão obrigados a ressarcir os custos do Tribunal de Contas, porque nós não toleramos a imprudência e o excesso de confiança, que geraram preocupação momentânea na população do Estado do Amazonas”, disse ao garantir que os processos de prestações de contas dos mais de 300 órgãos públicos (Estado e municípios), os de aposentadoria, entre outros, estão sob segurança e voltam à normalidade na outra semana.

Questionado sobre a participação do Diretor de Controle Externo de Auditoria de Tecnologia da Informação, Eduardo Nunan na pane dos sistemas, o conselheiro Ari Moutinho Júnior explicou que o servidor não tem nada a ver com a questão, uma vez que a Diati é o setor do TCE responsável diretamente pelas auditorias na área de TI nos órgãos públicos e não pelo setor de informática do TCE.

Parceria ampliada com a Prodam

Para que uma nova pane não ocorra, o TCE reafirmou sua parceria com a Prodam, com garantia de backup extra na ‘nuvem’ da empresa, que será uma espécie de segundo backup para o futuro.  “Hoje, nós temos uma contingência do sistema que está em produção na Corte de Contas e, nos próximos dias, o ambiente de produção ficará em uma plataforma na ‘nuvem’. Ou seja, os sistemas críticos serão armazenados dentro dos nossos servidores e o backup será dentro das rotinas automáticas da Prodam. Toda segurança que nós iremos proporcionar será a mesma que já entregamos a tantas décadas para o Executivo estadual e outros órgãos de vários poderes”, informou o diretor-presidente da Prodam, Márcio Lira.

LEIA MAIS

Apagão no sistema do TCE-AM se deu por falha humana, diz Ari Moutinho Júnior

Pane no sistema do Ministério do Trabalho suspende emissão de carteiras em Manaus

'Pane' em site adia inscrições para recebimento de casas

Publicidade
Publicidade