Publicidade
Cotidiano
Notícias

Técnica a laser revela se existe anomalia em embriões

Por meio de um procedimento chamado PGD/PGS, que se trata de uma biopsia embrionária feita a laser, é possível saber se o embrião é saudável geneticamente ou não, antes de implantá-lo 12/10/2014 às 16:43
Show 1
Em 24 horas, é possível saber se o embrião apresenta alguma anomalia
Rafael Seixas Manaus (AM)

Todo pai quer que seu filho nasça com saúde. Por meio de um procedimento chamado PGD/PGS é possível saber se o embrião é saudável geneticamente ou não, antes de implantá-lo. Esta técnica, que se trata de uma biopsia embrionária feita a laser, foi realizada pela primeira vez no Norte do País, na clínica La Vitta, localizada em Manaus. Este método também aumenta consideravelmente a chance da mulher engravidar. 

“Para aumentar a oportunidade de uma paciente engravidar, tendo absoluta certeza que o embrião é saudável, se faz um estudo genético, antes de transferi-lo para o útero. Para fazer esse estudo genético, temos que colher uma célula do embrião que está no momento com oito células. Este período é crucial porque se não utilizarmos uma técnica precisa, nós podemos estragá-lo, fazendo que este embrião não tenha condição de evoluir. Para isto há uma tecnologia no mundo, que é o laser, onde fazemos uma janela na membrana deste embrião, permitindo assim a saída de uma única célula. Após isso, esta célula é enviada para um laboratório de genética (em São Paulo) para fazer o estudo”, disse Lourivaldo Rodrigues, ginecologista e obstetra, com doutorado em Reprodução Humana, responsável pela clínica La Vitta. 

“A importância deste exame é garantir para o casal, que está tentando engravidar, a absoluta certeza que este embrião, que vamos transferir, é saudável, sadio geneticamente. A técnica é feita no terceiro e no quinto dia do embrião, o resultado fica pronto em 24 horas”, acrescenta.

Confiança

Algumas das anomalias genéticas que a biopsia pode detectar são a síndrome de Down e a de Turner. “Ao ser detectada uma anomalia, o embrião não é transferido. Esta é uma tecnologia que antecipa qualquer outra existente do ponto de vista de permitir que o casal engravide sabendo que seu filho é saudável”, disse o médico, afirmando que a precisão do método é de 99%. 

Esta técnica é indicada para pacientes com idade avançada, com história de abortos recorrentes e anomalias cromossômicas na família, quando há falha de implantação e o fator masculino de infertilidade. “Aquele casal que quer ter absoluta certeza que engravidará de uma criança saudável, também pode fazer”, complementou Rodrigues, informando que este foi o caso dos  pacientes que estrearam o procedimento na capital amazonense. 

Números 

De acordo com uma pesquisa feita pela Igenomix em 2013, mulheres abaixo de 35 anos de idade têm 56.4% de chance de ter embriões anormais – confira o gráfico. Com 42 anos de idade, 80.9% de chance de ter embriões anormais. 

A utilização do PGD/PGS também pode duplicar as taxas de gestação. Por exemplo, em pessoas com idade materna avançada em 150%, com falha de implantação em 132%, com aborto recorrente em 71% e com fator masculino de infertilidade em 64%. Todo o método é efeito na La Vitta em parceria com a clínica Chromosome, tendo na equipe a embriologista Lisa Pontes Morais (Manaus) e a biomédica e embriologista Ana Carolina Nogueira (São Paulo).

Publicidade
Publicidade