Publicidade
Cotidiano
Notícias

Técnicas para comércio se tornam chave para boas vendas

E para falar sobre o assunto A CRÍTICA conversou com quem mais entende sobre o assunto, vendedores e comerciantes 03/11/2013 às 09:43
Show 1
A partir de agora, placas como esta serão cada dia mais comum nas lojas do comércio do Centro da cidade
Olívia de Almeida Manaus (AM)

Bater metas e vender muito. O que para alguns é uma tarefa aparentemente fácil, para outros exige inúmeros atributos e técnicas. E para falar sobre o assunto A CRÍTICA conversou com quem mais entende sobre o assunto, vendedores e comerciantes.

Entre eles, está a Rosicley de Almeida Lago, que há mais de 25 anos trabalha como vendedora na Top Internacional, durante todo esse tempo ela conquistou e fidelizou diversos clientes com o seu carisma e atendimento diferenciado. “Tenho clientes que só compram na loja se eu estiver, caso contrário voltam outra hora”, revela a profissional.

A vendedora conta que o segredo para tanto sucesso está por sempre buscar se atualizar no que tem de novidade no segmento de perfumaria. “Isso passa segurança para o cliente, indiferente da classe social, todos gostam de chegar na loja e receber tratamento diferenciado e sentir-se especial”, entrega a vendedora.

Opções

Atendimento diferenciado também é o segredo da Zen Maison, do Vieiralves, Zona Centro-Sul, loja que multimarca que oferece as melhores grifes do mercado com opções para mulheres de todos os estilos. “As nossas consumidoras são exigentes e já vem até aqui com ideia do que quer e precisamos corresponder isso através de um atendimento classe AAA”, comentou a gerente e vendedora, Ana Paula Monteiro.

Ela, que possui mais de 20 anos no mercado, afirma que implantou na loja o método de Harry Friedman, chamado como Os Sete Passos para o Sucesso em Vendas e Atendimento. “Ele consiste na abertura da venda, sondagem, demonstração, fechamento experimental, contornando objeções, fechamento da venda e confirmações e convites”, resume Ana Paula.

Contribuição

Já a Bemol, além dos cursos de qualificação, a empresa investe também na bonificação dos vendedores, o que contribuiu para a motivação 400 vendedores espalhados entre as 18 unidades.

“Muitos deles já tinha a habilidade do ramo enquanto outros foram descobrindo ao longo da vivência profissional”, disse Klaus Raine, coordenador de vendas da Bemol, que começou a carreira como vendedor na empresa e hoje gerencia o corpo de vendas do empreendimento.

Ele lembra que quando se tornou gestor, se identificou com o ramo, por conta disso, se especializou em coach e gestão de varejo. “20% dos vendedores são universitários ou concluíram o curso, não porque querem mudar de profissão, mas porque isso agrega conhecimento e cria oportunidades, ser vendedor é uma carreira”, ressaltou o coordenador Klaus Raine.

Publicidade
Publicidade