Domingo, 25 de Agosto de 2019
ENSINO

Tecnologia para melhorar índices que avaliam a Educação Básica no AM

Pacote lançado pela Seduc-AM, voltado aos Ensinos Fundamental e Médio, tem como plataforma Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)



1501355_A7C8D4B6-5F1E-43F6-B140-718565DE0A95.jpg Para o secretário, medida é oportunidade de corrigir falhas de aprendizagem.Foto: Divulgação/ Seduc
30/07/2019 às 14:55

Em 2017, o Amazonas ficou abaixo da média nacional no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que monitora o segmento por meio de exames de Português e Matemática. Segundo informações da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc), na matéria de Exatas o estado registrou 246,8 pontos em uma escala que varia de 0 a 500 (a média brasileira é de 270). Em Língua Portuguesa, a nota do Amazonas ficou 19 pontos abaixo da média nacional, com 249 pontos.

Para otimizar esses índices, o governo do Amazonas lançou ontem (29), no Centro de Educação em Tempo Integral Áurea Braga, na Compensa, Zona Oeste de Manaus, um pacote de programas pedagógicos voltados a rede pública estadual de ensino por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), plataforma desenvolvida pelo Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), da Seduc.

Com conteúdo voltado a alunos e professores, a plataforma poderá ser acessada, por meio do portal da secretaria em tablets, smartphones e computadores com sistemas operacionais Android, IOS, Windows, entre outros.

A expectativa é ampliar as possibilidades de aprendizagem por meio de revisão de conteúdos já ministrados em sala de aula, em todas as etapas e modalidades de ensino. Durante a apresentação do programa, o secretário da pasta, Luiz Castro, enfatizou a necessidade de servidores e alunos juntarem esforços para melhorar os índices do estado na educação básica. No programa “Hora do Seab”, disponível na nova plataforma, professores e alunos terão conteúdo para se preparar para a avaliação, realizada a cada dois anos – a próxima edição acontece no final de 2019.

“Ali, temos uma árvore de conteúdos com aulas e exercícios de Língua Portuguesa e Matemática. O aluno poderá ampliar os conhecimentos e sua capacidade de dar boas respostas nesse exame. Temos a oportunidade de corrigir falhas e suprir lacunas de conhecimento”, disse Castro, acrescentando que a Seduc mantém um processo de diagnóstico que identifica, por meio de provas elaboradas pelo órgão, os pontos de fragilidade dos alunos do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, público-alvo do Seab junto com estudantes do 3º ano do Ensino Médio.

Outros programas

Além do “Hora do Seab”, o Ambiente Virtual de Aprendizagem oferece mais quatro programas: o pré-vestibular Conquistar, os cursos de Ressignificação da Prática Pedagógica, Tutoria em Ensino à Distância e Cemean Class. Há exercícios complementares aos ensinamentos dados em sala de aula e dicas de conteúdo para estudantes que vão prestar vestibular. Além disso, o espaço também vai reunir conteúdos digitais norteadores para o processo de implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e do Novo Ensino Médio. A previsão é que 423 mil alunos da rede estadual de ensino em ambos os níveis sejam beneficiados pela iniciativa.

“Hoje, todo mundo tem um smartphone. Então estamos possibilitando que o aluno tenha cada vez mais independência e aquelas pessoas que estão fora da escola também tenham essa possibilidade de acessar o conteúdo”, explicou o governador Wilson Lima, acrescentando que o acesso à internet será intensificado no sistema escolar do Amazonas.

Autonomia

Para a gerente de Mídias e Conteúdos Digitais da Seduc Sabrina Araújo, o meio virtual possibilita maior diversidade de estratégias de aprendizado e ensino. “Na sala de aula, o professor tem a tarefa de transmitir e facilitar o conteúdo num universo maior, com cerca de quarenta alunos com ritmo de aprendizagem diferenciado. No ambiente virtual, o estudante consegue escolher suas atividades e exercícios e ser autônomo, o que não invalida a figura do professor”.

Ela adianta que um dos próximos objetivos da plataforma é disponibilizar itinerários formativos no novo Ensino Médio no qual, a partir dos conteúdos expostos, o estudante possa personalizar o ensino e visualizar seu rendimento e desempenho. “Pretendemos fazer cursos de capacitação, então a ideia é ter material para que ele possa aprender sozinho ou contar com a ajuda de um tutor”, diz Sabrina.

Para acessar os programas do AVA, o usuário deve registrar seus dados pessoais no cadastro da plataforma, cujo link encontra-se no lado direito do portal da Seduc.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter freelancer de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.