Sábado, 29 de Fevereiro de 2020
TECNOLOGIA

Tecnologias da Informação e Comunicação impulsionam pesquisas na região

Soluções tecnológicas aliadas a estudos científicos, que utilizam tecnologia de ponta, ajudam pesquisadores



0.jpg (Foto: Divulgação)
06/05/2017 às 13:25

A história de que museu vive no passado ficou para trás há muito tempo. Com o avanço da tecnologia, os institutos brasileiros se adequaram à modernidade. Referência mundial em Biologia Tropical, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), por exemplo, tem promovido o desenvolvimento socioeconômico na Região Amazônica com estudos científicos que utilizam tecnologia de ponta.

Com sede em Manaus (AM) e quatro núcleos localizados nos estados do Acre, Pará, Roraima e Rondônia, as soluções tecnológicas da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) contribuem para o desenvolvimento desses estudos.



Um deles foi o projeto Geoma, hoje desativado. Resultado de uma colaboração com outras cinco unidades de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o principal objetivo foi desenvolver modelos para avaliar os cenários de sustentabilidade nas atividades humanas e nas políticas públicas. Os integrantes do Inpa analisavam as mudanças provocadas do uso da terra e dos sistemas de produção na Região Amazônica. O resultado é um sistema que abriga dados socioambientais coletados pela rede de pesquisadores que integram o Geoma. Eles também investigam a dinâmica demográfica da região.

Por essa essência colaborativa dos trabalhos com outras instituições, o Inpa passou a utilizar Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) que pudessem contribuir para o desenvolvimento de projetos como o Geoma. O coordenador de TI e de Ações Estratégicas do Inpa, Ricardo Rocha, revela que as tecnologias da RNP alavancaram o desempenho das pesquisas realizadas no instituto. “Aqui nós usamos desde o acesso à internet pela MetroMao, provida pelo Ponto de Presença (PoP-AM), passando pelos serviços de Videoconferência, Conferência Web, CAFe e até a parceria no Projeto do Centro de Dados Compartilhados. Isso acaba colaborando e acelerando o trabalho que fazemos com as pesquisas realizadas no instituto”, afirma.

Conectividade

O engenheiro ambiental Basílio Frasco é pesquisador e coordenador de intercâmbio no Inpa. Para ele, manter contato com outros institutos é imprescindível no desenvolvimento de novos projetos e a videoconferência acaba se tornando um aliado importante neste caso.

“A conectividade está presente no nosso dia a dia. Sempre que temos algumas reuniões ou conferência, usamos a sala de Videoconferência da RNP, que é totalmente equipada. Como alguns colegas estão em outros institutos, esse é o meio mais prático e eficaz de realizamos nosso trabalho, colhermos informações, simultaneamente”, revela.

Entenda a rede

Qualificada como uma Organização Social (OS), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e mantida por esse em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC), Saúde (MS) e Defesa (MD), que participam do Programa Interministerial RNP (PI-RNP). Pioneira no acesso à internet no Brasil, a RNP planeja, opera e mantém a rede Ipê, infraestrutura óptica nacional acadêmica de alto desempenho.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.