Publicidade
Cotidiano
Jogos Olímpicos

Temer e ministros discutem cenário para retomada do crescimento

Participaram da reunião ministros da área econômica e de outras como infraestrutura, comércio exterior, agronegócio e política externa 19/07/2016 às 13:34
Show 1031718 190716temer01638
O presidente interino Michel Temer, ministros da área econômica e líderes do governo discutem medidas de incentivo ao crescimento da economia (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Yara Aquino - Agência Brasil

Em reunião para discutir medidas de estímulo à retomada do crescimento econômico do país, o presidente interino Michel Temer e ministros analisaram hoje (19) cenários e números da economia. Temer determinou que o núcleo econômico volte a se encontrar em 15 dias.

Participaram da reunião ministros da área econômica e de outras como infraestrutura, comércio exterior, agronegócio e política externa. O encontro durou pouco mais de uma hora e os ministros apresentaram dados de suas pastas. Eles debateram com o presidente interino medidas para cada setor.

Presenças

Entre os presentes, estiveram o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; o interino do Planejamento, Dyogo Oliveira; da Casa Civil, Eliseu Padilha; da Agricultura, Blairo Maggi; das Relações Exteriores, José Serra; o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab; da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira.

O secretário-executivo do programa de parcerias de investimento, Moreira Franco, e o líder do governo na Câmara, Andre Moura (PSC-SE), também participam das discussões.

No dia em que Temer e ministros discutiram formas de acelerar o crescimento da economia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou a projeção para o Brasil do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

A projeção de retração do PIB passou de 3,8% em abril, para 3,3%. Para o fundo, a recessão em 2016 agora está prevista para ser menos severa, com o retorno ao crescimento em 2017. O FMI diz, entretanto, que as incertezas políticas mantêm-se e podem obscurecer as perspectivas.

Publicidade
Publicidade