Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
Pesca

Temporada de manejo do pirarucu na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Uacari é aberta

Atividade de geração de renda sustentável envolverá 17 comunidades e mais de 130 famílias



WhatsApp_Image_2021-09-20_at_14.39.19_574C08E5-1AAB-4A59-AD0E-C8511B6C3995.jpeg Foto: Diego Peres / Secom
20/09/2021 às 14:51

Está oficialmente aberta a temporada de manejo do pirarucu na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uacari – uma das 42 Unidades de Conservação (UC) gerenciadas pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) –, situada no município de Carauari (a 788 quilômetros de Manaus).

A abertura foi oficializada no fim da tarde de quinta-feira (16/09), na comunidade Xibauazinho, onde aproximadamente 15 famílias obtêm renda a partir da atividade de conservação e manejo da espécie. Esta é parte integrante da política de desenvolvimento sustentável do Governo do Amazonas, segundo conta o secretário titular da Sema, Eduardo Taveira.

“Essa é uma atividade que já acontece há dez anos, que teve como pioneirismo a RDS Mamirauá, onde essa atividade estimulou a conservação de uma espécie que já estava em extinção. A gente está aqui diante de um símbolo, de que é possível conservar os recursos naturais e, ao mesmo tempo, gerar renda para as comunidades”, disse.

A atividade garante geração de renda para a família do Francisco Medeiros, conhecido como “Seu Preto”. Ele é um dos líderes comunitários do Xibauazinho, onde o manejo do pirarucu passou a ser realidade em 2011, fruto de um trabalho de conservação que começou em 2007.

“Esse é o momento mais esperado do ano para a gente. Agora está acontecendo a pesca da cota que a gente tem pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais), mas esse é um trabalho anual, que começa com a o monitoramento, contagem de peixes e a organização, que envolve toda a comunidade”, destacou.

Na despesca deste ano, os pescadores do Xibauazinho têm uma cota de pesca – quantidade máxima permitida para o manejo – de 230 peixes. Em toda a RDS Uacari, a despesca será de 646 pirarucus, envolvendo 16 outras comunidades e 134 famílias. A estimativa de renda total na reserva é de R$ 290 mil.

“Temos o privilégio de morar dentro de uma Unidade de Conservação, porque antes dela, o que era de qualquer um, feito de qualquer jeito, passou a ser cuidado e passou a ser nosso. Hoje a gente trabalha no coletivo, e parceiros, como a Sema, nos fortalecem”, finalizou Medeiros.

GABINETE ITINERANTE

A abertura do manejo do pirarucu na RDS Uacari faz parte das ações do Gabinete Itinerante Ambiental (Giam). O projeto foi criado em março deste ano e já contemplou os municípios de Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus) e Novo Airão (a 115 quilômetros da capital).

Em Carauari, a ação se encerra neste sábado (18), com uma série de reuniões junto à representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas), além de membros da associação local de catadores, da colônia de pescadores Z-25, da Associação dos Moradores Agroextrativistas da RDS Uacari e outras entidades.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.